Como Prospectar Clientes na Advocacia no Início da Carreira

Descubra como prospectar clientes na advocacia com estratégias de marketing que de fato geram resultado e são permitidas pela OAB.

por Alessandra Strazzi

7 de dezembro de 2023

Comentáriosver comentários

Capa do post Como Prospectar Clientes na Advocacia no Início da Carreira

Resumo

Muitos advogados ainda têm dúvidas sobre como prospectar clientes na advocacia, seja porque se sentem inseguros com relação à OAB ou se sentem perdidos diante do mar de alternativas de marketing jurídico que temos à disposição hoje em dia. Neste artigo, explicamos a diferença entre prospecção e captação de clientela, também compartilhamos 5 estratégias de prospecção de clientes na advocacia que de fato trazem resultados para os escritórios e são permitidas pela OAB. Além disso, comentamos quais as redes sociais e plataformas mais utilizadas pelos brasileiros e que vale a pena investir em presença digital.

1) Como Prospectar Clientes na Advocacia: Linhas Gerais

🧐 Os resultados do Censo Jurídico 2023 mostraram que existe uma grande preocupação em como prospectar clientes na advocacia. Aumentar a clientela dos escritórios é, ao lado do marketing jurídico, o destaque da pesquisa.

De fato, a busca por novos contratos é justificada pela necessidade de manter e expandir a atuação do advogado, até para a manutenção do escritório.

Mas existem muitas regras, limites e dificuldades para alcançar esse objetivo, em especial para quem está no início da carreira.

🤓 Por esse motivo, decidi escrever o artigo de hoje para explicar como prospectar clientes na advocacia de forma ética e que traga resultados!

Primeiro, quero mostrar os 5 passos para a prospecção de clientela que ajudam a deixar essa tarefa menos árdua. Entre eles, o domínio das regras da OAB , a compreensão do poder do marketing jurídico e a importância de dar o primeiro passo.

Na sequência, tenho uma dica bônus sobre as melhores plataformas virtuais para prospecção de clientes na advocacia. Sites, blogs, redes sociais e podcasts são algumas delas.😍

Também vou explicar a diferença entre prospectar e captar clientela, para você saber qual termo é mais correto usar!

Tudo para lhe ajudar a entender melhor como prospectar clientes na advocacia, dominando o assunto e conhecendo caminhos para explorar ao máximo o que a OAB permite. 🤗

como prospectar clientes na advocacia

2) Prospecção de clientes na advocacia em 5 Passos

A prospecção de clientes na advocacia é um dos maiores desafios que os advogados enfrentam no dia a dia. Afinal, mesmo com bons serviços e um escritório consolidado, aumentar a clientela é um objetivo para todos, mas que pode ser complexo na prática.

🧐 E não é para menos…

Existem vários pontos que precisam de atenção, limites bem rígidos, caminhos diversos e muitas possibilidades para agir na busca de novos contratos.

Para lhe ajudar nesse desafio, vou compartilhar 5 passos para a prospecção de clientes na advocacia. Eles são os que considero essenciais para alcançar essa meta de maneira ética, sem ter problemas com a OAB.

É claro que existem outras alternativas, mas vou trazer aquelas que acredito serem as mais importantes, ok? Se tiver alguma outra sugestão ou ideia, me conta nos comentários, para trocarmos experiências!

Aliás, por falar em dicas, quero deixar aqui uma sugestão de artigo que acabei de publicar sobre a conversão de tempo especial em comum.

Esse é um assunto quente para a advocacia previdenciária, já que a conversão pode aumentar o tempo de contribuição do segurado e trazer regras melhores de aposentadoria (assim como revisões de benefício).

Dá uma olhada depois, porque está bem completinho e cheio de exemplos práticos. 🤗

Dito isso, vamos para as 5 dicas de prospecção!

2.1) Domine as normas éticas da OAB

📜 O primeiro passo na prospecção de clientes na advocacia é dominar as normas éticas da OAB. Isso é fundamental para todas as outras etapas, então coloco no topo da nossa lista.

As regras da OAB sobre marketing jurídico e prospecção de clientes estão no:

  • Estatuto da Advocacia e da OAB (Lei n. 8.906/1994);
  • Provimento n. 205/2021 do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil;
  • Código de Ética e Disciplina da OAB (Resolução n. 02/2015)

Todas as regras que estão nessas normas são complementares e formam os limites para a atuação do advogado.

Não é o objetivo do artigo de hoje esgotar o assunto e nem comentar as determinações da OAB uma por uma, até porque temos vários conteúdos sobre isso aqui no blog. 😉

Mas, em resumo, as principais regras de publicidade são:

  • Evitar a mercantilização;
  • Garantir um caráter informativo, ponderado e sóbrio;
  • Não agir para incentivar a litigância (incentivo a processos);
  • É proibido mencionar valores de honorários;
  • Não divulgar informações falsas;
  • Não usar menções que podem persuadir as pessoas.

Recomendo fortemente que conheça todas as normas que citei, porque isso traz mais segurança na hora de definir as estratégias de marketing do escritório.

Se ficar em dúvida se determinada conduta é permitida, pesquise nas decisões do TED do seu Estado ou consulte a própria OAB da sua seccional, ok? É agindo assim que a gente evita dores de cabeça lá na frente!

2.2) Entenda o Poder do Marketing de Conteúdo

Vocês sabem que sou fã do Marketing de Conteúdo, porque é realmente um trunfo quando o assunto é prospecção de clientes na advocacia!

Explorar essa possibilidade produzindo conteúdos para diversas plataformas (blogs, sites, redes sociais e YouTube, por exemplo) é muito interessante, porque posiciona o advogado como autoridade na área de atuação e gera confiança nas pessoas.

Afinal, por exemplo, quando alguém abre o Instagram e vê um post jurídico sobre um assunto de interesse, com as informações de qualidade , naturalmente passa a enxergar o advogado como um especialista , o que aumenta as chances de contratar os serviços.

E mesmo que a pessoa não esteja buscando o serviço naquele momento, se o marketing de conteúdo for bem elaborado, ela vai se lembrar da sua postagem quando precisar de um advogado.

🤔 “Alê, mas a OAB permite fazer esse tipo de publicidade?”

Sim! O Marketing de Conteúdo é permitido, sendo considerado ético e saudável pela Ordem, desde que respeitadas as regras já citadas no tópico anterior.

Inclusive, quando você atua corretamente e produz um material de qualidade, é possível ranquear melhor seu site no Google. Ou seja, quando alguém procurar por um advogado naquele tema, você vai aparecer em destaque na ferramenta de busca.

Por isso, se você está em dúvida sobre como prospectar clientes na advocacia no início da carreira, a produção de conteúdos para compartilhamento na internet e nas redes sociais é um ótimo caminho! 😊

2.3) Conheça o que seus clientes buscam na Internet

Acontece que não adianta se dedicar ao Marketing de Conteúdo, produzir um bom material para as suas redes e investir em publicidade observando as normas da OAB sem conhecer o que os seus clientes buscam na Internet.

🤔 “Ué, Alê, como assim?”

É fundamental identificar o que seus clientes estão buscando na internet, para direcionar os seus esforços na produção de conteúdo que vai atingir essas necessidades.

Por exemplo, se você notar que as pessoas estão procurando saber sobre Revisão da Vida Toda e a Aposentadoria programada, é interessante focar em produzir material sobre esses assuntos.

Para conseguir fazer isso, vale a pena conhecer pelo menos o básico de SEO (Search Engine Optimization – a otimização de mecanismos de busca) para se posicionar bem no Google e gerar tráfego para o site do seu escritório.

O que também não pode faltar é uma pesquisa de palavras-chave, para identificar o que as pessoas estão procurando na internet. ✅

Aliás, um erro comum de muitos que buscam soluções de como prospectar clientes na advocacia por meio da produção de conteúdo é produzir material sem se atentar às buscas das pessoas.

Por mais que uma postagem em um blog ou no Instagram sejam bem feitos, se o assunto não for de interesse, ele vai se perder e os esforços serão em vão. 😕

É muito importante observar o SEO e pesquisar as palavras-chave na hora de produzir conteúdo. Assim você descobre e conhece o que os seus clientes buscam online!

2.4) Saiba como ser encontrado e seja visível

🧐 Na sequência de dominar as regras da OAB, entender o poder do Marketing de Conteúdo e saber o que os clientes estão procurando na internet, está encontrar a estratégia correta para aparecer para essas pessoas.

Afinal, da mesma forma que os resultados não são bons se você produzir conteúdo sem observar as necessidades da clientela, eles também não acontecerão se você não conseguir ser visto.

E essa visibilidade na internet é alcançada de duas formas principais:

  • Tráfego orgânico (gratuito);
  • Tráfego pago.

🤓 Existem vantagens em ambos e é vital conhecer elas para entender qual é o melhor caminho para o seu caso. Inclusive, a OAB já permite investimentos em conteúdos patrocinados, desde que observados os limites éticos.

“Alê, mas o que é melhor?”

Não existe uma resposta universal, porque depende da sua situação, das suas necessidades e do seu planejamento.

O tráfego orgânico tem como principal vantagem o fato de ser gratuito. Então não é necessário investir dinheiro nele (apenas tempo), basta usar as plataformas que desejar para publicar o seu conteúdo. 🤗

Além disso, essa forma de visibilidade costuma ser a mais usada no início da prospecção de clientes na advocacia online, justamente por permitir experiências em diferentes locais da internet sem um gasto extra.

Isso é interessante para descobrir onde as pessoas que você quer alcançar com sua publicidade estão antes de realmente focar em uma ou algumas plataformas.

Por outro lado, o tráfego pago permite um alcance maior , atingindo mais clientes em potencial com suas publicações.

Essa é uma vantagem inegável: mostrar seu conteúdo para mais pessoas na internet e aumentar as chances de ser visto. Isso em troca de um investimento que pode ser interessante, a depender da situação. 💰

Particularmente acredito, que o melhor caminho é começar no tráfego orgânico para pegar experiência e estudar os resultados.

Depois de analisar bem o que deu certo e em que plataforma o retorno dos potenciais clientes foi melhor, você terá mais segurança para investir em tráfego pago.

Mas, cada caso é um caso e cabe a cada advogado entender o que é o mais vantajoso para atingir os objetivos profissionais!

2.5) Dê o Primeiro Passo

Com tudo isso em mente, a parte teórica da prospecção de clientes na advocacia já está bem colocada. Agora chegou a hora da prática!

📝 Dê o primeiro passo e comece a publicar os seus conteúdos sem procrastinar, ainda que você ache que não está perfeito. O tempo de experiência e as análises de resultados ajudam a melhorar sua produção, atingindo um patamar de excelência.

É muito importante combinar o marketing de conteúdo com as técnicas de SEO e as pesquisas de palavras-chave, como você conferiu nos tópicos 2.2 e 2.3.

Eu sempre digo que o feito é melhor que o perfeito! 😉

Então, o início pode ser um pouco complicado, mas usando as dicas, você já tem um norte sobre qual é a melhor decisão em termos do primeiro passo.

Depois disso, é uma questão de observar as métricas e se dedicar a produção de conteúdos direcionados na plataforma que dá o melhor resultado para você. Existem públicos variados no Instagram, Facebook, LinkedIn, YouTube e sites. 🤗

Diferentes redes sociais, dificuldade de se expor, falta de engajamento, normas da OAB…

O Marketing Jurídico ainda é um desafio para muitos advogados.

Mas afinal, existe uma fórmula garantida para atrair clientes na internet?

É claro que existe!

Eu compilei todo meu conhecimento de mais de 10 anos trabalhando com marketing jurídico digital e produção de conteúdo jurídico na internet em um guia: o ebook Marketing Jurídico Vencedor: Como Atrair Clientes Online

Meu objetivo com o livro é ensinar a você uma fórmula garantida para que os clientes encontrem você , sempre respeitando as normas da OAB!

Este ebook traz para você os 5 Pilares da Prospecção Online

  1. Estratégias para você se destacar online e ser encontrado pelos seus clientes
  2. As novas regras de marketing jurídico da OAB
  3. Marketing Jurídico orgânico: branding, site, SEO, redes sociais, produção de conteúdo, cartão de visitas, WhatsApp, correio eletrônico e mais!
  4. Marketing Jurídico pago: como chegar aos clientes com anúncios de forma ética e eficiente
  5. Tudo o que você precisa para montar e ter sucesso com um escritório de Advocacia digital

👉 Então clique aqui para se tornar um ímã de clientes através da internet! 😉

3) Dica bônus: plataformas virtuais para prospecção de clientes na advocacia

Como um dos pontos-chave para a prospecção de clientes na advocacia é conhecer em que lugar da internet estão os seus futuros contratantes, preparei uma dica bônus para você!

🤓 Vou fazer uma lista de sugestões de plataformas virtuais e das suas características para lhe auxiliar na hora de analisar qual é a melhor escolha.

Lembrando que cada uma tem suas particularidades e diretrizes de conteúdos. Além disso, todas as regras da OAB que comentei nos tópicos anteriores se aplicam aqui também.

3.1) Sites e blogs

De todas as plataformas digitais disponíveis na internet atualmente, os sites e blogs estão entre os mais utilizados pelos advogados. Acredito que isso aconteça por ser algo que existe há mais tempo e que passa uma confiança maior de que não terão problemas com a OAB.

Ao criar um site/blog, além de construir uma imagem profissional sólida e antenada com as novas tendências digitais, o advogado ainda tem a chance de divulgar seus serviços para mais pessoas. O que aumenta as oportunidades de prospectar novos clientes.

⚖️ A OAB permite que o advogado ou escritório de advocacia tenha uma página na internet, desde que o conteúdo respeite as regras e contenha apenas as informações de contato permitidas.

Eu recomendo muito ter um site próprio, já que ele é seu! Qualquer outra plataforma de terceiros você não tem controle nenhum, já que as regras podem mudar a qualquer momento e, muitas vezes, são prejudiciais.

Então contar apenas com plataformas de terceiros é arriscado no longo prazo.

Mas é claro que também devemos aproveitar possibilidade de publicações de artigos em sites jurídicos de terceiros (como Jusbrasil, Migalhas, Conjur etc.), incidindo as mesmas normas éticas aplicáveis ao site do próprio advogado.

Caso esteja tendo dificuldades em obter mais visitas para o seu site, recomendo que leia os artigos daqui do blog sobre marketing jurídico. Estão super completos e tenho certeza de que isso irá lhe ajudar! 🤗

Está gostando do artigo? Clique aqui e entre no nosso grupo do Telegram! Lá costumo conversar com os leitores sobre cada artigo publicado. 😊

3.2) Jusbrasil

Uma das páginas mais conhecidas no meio jurídico online é o Jusbrasil. E existem duas formas do advogado ou escritório de advocacia prospectar clientes através dele.

📝 A primeira delas, é utilizando o site para a publicação de artigos , explorando ao máximo o Marketing de Conteúdo.

Nesse caso, o advogado se cadastra gratuitamente no site, escreve um artigo sobre um tema da sua escolha (normalmente referente à área em que atua) e disponibiliza na plataforma, para que qualquer pessoa que desejar possa ter acesso.

Essa é a maneira mais comum de utilizar o Jusbrasil e, assim como os sites/blogs, representa uma forma indireta de prospectar clientes. Os resultados, quando aplicadas as técnicas corretas e com bons conteúdos, é muito interessante.

Aliás, recomendo que se dedique a preencher seu perfil na plataforma da maneira mais completa possível. Afinal, após ler seus artigos, as chances de clientes potenciais visitarem sua página são altas. 😉

Mas nunca é demais lembrar que se aplicam as normas éticas que citei no tópico anterior a essa possibilidade, ok? A postagem no Jus é considerada como publicação de conteúdo informativo em site jurídico de terceiro, o que é permitido, mas regulado pela OAB.

A segunda forma de captar clientes pelo Jusbrasil, é através do serviço de Diretório de Online de Advogados que a plataforma disponibiliza.

⚖️ Trata-se de uma espécie de intermediação que o site realiza entre clientes e advogados, fazendo uma “ ponte” entre quem precisa contratar e quem quer ser contratado.

Caso você queira entender um pouco mais sobre como funciona esse Diretório, sugiro que acesse a aba correspondente no site, onde consta todas essas informações.

E, você utiliza ou já utilizou alguma plataforma de prospecção direta de clientes (seja o Jusbrasil ou outras)? Essa estratégia lhe rendeu bons resultados? Compartilhe sua experiência comigo nos comentários! 😊

3.3) YouTube

Não existe nenhuma proibição por parte da OAB para a publicidade profissional de advogado no YouTube.

É possível a utilização da plataforma, desde que os vídeos postados lá estejam em linha com princípios, normas e preceitos éticos da OAB. ✅

Desse modo, o advogado ou escritório de advocacia pode manter um Canal no Youtube para divulgar vídeos informativos que sirvam de “isca” para atrair a atenção dos espectadores e, quem sabe, conquistar novos clientes.

“Alê, mas compensa fazer isso?”

🧐 Se a produção de vídeos se encaixar na sua estratégia de marketing, com certeza compensa investir nessa área.

Afinal, o Youtube é a rede social mais utilizada pelos brasileiros ao lado do WhatsApp atualmente, ultrapassando inclusive o Facebook (segundo o relatório Digital in 2023, do site We Are Social). Há um “empate técnico” na primeira posição.

Mas o fato dele ficar na frente de Instagram, TikTok e X (antigo Twitter) já demonstra a importância para o planejamento de conteúdos levando essa possibilidade em conta.

Portanto, acredito que investir nessa plataforma seja uma excelente alternativa para a prospecção de clientes na advocacia! 🤗

3.4) Redes Sociais

O advogado pode ter páginas ou perfis de caráter profissional nas redes sociais mais diversas, sempre observando o que determinam as regras sobre a publicidade.

Até recentemente existia uma discussão, porque não havia explicitamente a autorização nas normas da Ordem dos Advogados do Brasil nesse aspecto.

📜 Era feita a interpretação conjunta do Estatuto da Advocacia e da OAB (Lei n. 8.906/1994), do Provimento n. 94/2000 do Conselho Federal da OAB (já revogado) e do Código de Ética e Disciplina da OAB (Resolução n. 2/2015).

A conclusão era no sentido de que não havia problema, e esse entendimento era aplicado inclusive pelos TEDs em suas decisões.

🤓 Mas, com a publicação do Provimento n. 205/2021 do CFOAB , qualquer dúvida ou discussão que existia sobre o tema acabou!

O art. 5º deste provimento prevê que a publicidade profissional pode usar anúncios pagos ou não em meios não vedados pelo art. 40 do Código de Ética e Disciplina.

Já o Anexo único da mesma norma garante que é permitida a “presença nas redes sociais” e que é possível o “patrocínio e impulsionamento nas redes sociais”, desde que não se trate de oferta de serviços jurídicos.

✅ Ou seja, com o Provimento n. 205/2021, não há mais nenhuma discussão: o advogado pode usar a rede social para prospecção de clientes para advocacia.

É importante dizer que existem centenas de redes sociais disponíveis no mercado e seria praticamente impossível abordar as especificidades de cada uma delas em um só artigo.

Então, vou trazer os esclarecimentos com as dicas em duas redes sociais muito utilizadas atualmente no Brasil: Facebook e Instagram. Mas, caso você tenha qualquer dúvida relacionada à outra rede, é só me dizer nos comentários e eu respondo, ok? 😉

3.4.1) Facebook

Apesar de o Instagram estar conquistando cada vez mais a preferência dos brasileiros, o Facebook continua próximo dele, como a 4ª rede social mais utilizada.

🧐 Atualmente, ele está atrás apenas do WhatsApp, do YouTube e do próprio Insta. Acontece que o Face é a rede social mais utilizada no mundo , conforme dados do relatório de 2023, do site We Are Social).

Portanto, caso ainda não tenha página ou perfil no Facebook, recomendo fortemente que crie uma e passe a utilizá-la como forma de prospecção de clientes para a advocacia.

Afinal, se esta é uma das redes sociais mais utilizadas pelos brasileiros, desconsiderá-la em sua estratégia digital significaria simplesmente desperdiçar a oportunidade de divulgar seu trabalho para pessoas. Além disso, é possível que o grande núcleo de clientes esteja lá. 👨‍👩‍👧

No artigo sobre advogado poder fazer propaganda no Facebook ou Instagram, dei várias dicas sobre como desenvolver de forma ética sua publicidade advocatícia nas redes sociais.

Caso já tenha uma página profissional ou tenha a intenção de criar uma, não deixe de conferir, porque isso pode lhe ajudar.

⚠️ Atenção: tome cuidado ao responder a consultas nas redes sociais, por mensagens privadas ou até mesmo nos comentários das suas publicações. Porque isso é proibido pela OAB e considerado uma infração ética-disciplinar!

3.4.2) Instagram

Como disse, o Instagram vem ganhando cada vez mais força no Brasil e vários advogados estão marcando presença por lá de forma bastante forte, com muitos conteúdos, inclusive patrocinados.

O fato de ser possível publicar de diversas formas na rede é muito interessante, porque permite posts, stories, reels e até lives.

🤓 Caso você não esteja familiarizado, o Instagram funciona mais ou menos como o Facebook, mas seu diferencial é o foco no compartilhamento de fotos e vídeos.

Você até pode desenvolver um conteúdo escrito na legenda das imagens, porém o espaço disponível para isso é bem menor que em outras redes sociais. O Insta é mais de impacto, com informações rápidas e gráficas.

Acredito que o Instagram seja ideal para divulgar seus conteúdos de forma mais visual e “humanizar” sua marca profissional. Ou seja, uma ótima oportunidade para desenvolver seu branding jurídico! 😉

Lembrando que a mesma vedação a consultas gratuitas no Facebook, também é aplicada com relação ao Instagram. Portanto, nada de responder dúvidas por direct ou comentários, e muito menos “abrir” a caixinha de perguntas dos stories para isso, ok?

3.5) Sites de compra e venda

Conforme expliquei no artigo “Advogado pode anunciar na OLX? O que diz a OAB”, os tradicionais sites de compra e venda possuem um nítido viés mercantil. Por esse motivo, é praticamente impossível afastar essa característica dos anúncios publicados por lá.

Então, na minha interpretação, esse não é um caminho para prospectar clientes na advocacia! ❌

Afinal, posts nessas páginas tem o objetivo de fazer propaganda e divulgar serviços ao maior número de pessoas em um ambiente comercial. O anúncio em sites de venda, mesmo só com dados de contato, pode ser considerado como mercantilização da profissão.

Portanto, o advogado que faz isso e utilizando estratégia ilegal de prospecção de clientela, o que é expressamente proibido pela OAB.

🧐 Minha sugestão é para que você fique longe de sites de compra e venda na internet. Dá para aproveitar muitas outras possibilidades permitidas pelas regras de marketing jurídico, com menos dor de cabeça e melhores resultados.

3.6) Podcasts

Podcasts são “conversas online transmitidas” em vídeo e áudio ou apenas por meio de áudio. Estão em alta atualmente, confirmando uma tendência mundial.

🤓 Tecnicamente, são uma forma de difusão de conteúdo sonoro por meio de plataformas da internet, sejam sites ou aplicativos de áudio por celular (denominados plataformas de streaming, como Spotify, Deezer etc.).

O art. 40, inciso I, do Código de Ética e Disciplina (Resolução n. 02/2015) veda a veiculação de publicidade por meio de rádio ou televisão. Porém, existe uma significativa diferença entre o rádio e o podcast.

O conteúdo veiculado em rádio está à disposição de todos que sintonizam a estação a partir da qual se emitem os sinais sonoros, independentemente de uma escolha ativa do destinatário da mensagem.

Já no caso do podcast, o conteúdo fica armazenado em mídia digital ou disponível online, o que significa que apenas será veiculado caso haja uma ação específica e ativa do destinatário da mensagem.

Na minha opinião, um podcast está muito mais relacionado com marketing de conteúdo do que publicidade por meio de rádio ou televisão.

📜 Além disso, o Provimento n. 205/2021 permite expressamente a realização de lives em redes sociais e no YouTube.

É por isso que o podcast, diferente do rádio, é uma forma de publicidade profissional permitida pela OAB. Mas isso vale desde que, quanto ao conteúdo a ser veiculado, sejam respeitadas as normas éticas que devem pautar a conduta do advogado.

3.7) Outras plataformas – regra geral

É preciso levar em consideração que a realidade digital das redes sociais e dos demais meios na internet é algo relativamente recente. Especialmente para os parâmetros do marketing jurídico.

Assim, é natural que a OAB continue se adaptando e tentando evoluir, para abarcar de forma mais eficaz essas situações. O Provimento n. 205/2021 é um exemplo disso.⚖️

Contudo, as normas de publicidade advocatícia podem ser aplicadas a todas as plataformas digitais, mesmo que não tratem especificamente sobre cada uma delas.

A base de uma publicidade advocatícia ética será sempre a mesma: conteúdo apenas informativo , de caráter sóbrio e discreto, que não contenha mensagens de incentivo ao litígio, mercantilização da profissão, autopromoção e captação ilegal de clientela.

🧐 Além disso, é preciso respeitar o sigilo profissional, veicular somente em canais de comunicação permitidos pela Ordem e conter os dados para contato profissional autorizados.

Assim, creio que o que importa não é tanto a plataforma, mas sim o conteúdo que se vincula.

Com exceção dos sites de venda, entendo que a regra geral para qualquer plataforma digital seria: é possível sua utilização, desde que o conteúdo vinculado seja informativo e respeite as normas éticas da OAB.

Aliás, o mesmo vale para as newsletter e e-mail marketing enviadas pelos advogados e escritórios de advocacia, ok? 😉

4) Qual a diferença entre prospecção e captação de clientes?

Por fim, quero responder a uma dúvida muito comum entre advogados (e também do público leigo): qual a diferença entre prospecção e captação de clientes.

🤓 O que acontece é que a OAB proíbe a “captação de clientela” porque isso é considerado algo antiético. Afinal, buscar ativamente possíveis contratações seria se aproximar muito da mercantilização.

E sabemos que as normas da Ordem vedam completamente atitudes que levam a isso.

Por sua vez, a prospecção de clientes é uma busca menos agressiva e por meio de canais permitidos pela OAB, seguindo os limites estabelecidos pela instituição.

Prospectar é menos “agressivo” do ponto de vista das atividades do que captar, o que pressupõe um respeito ao caráter informativo da publicidade na advocacia, entre outros pontos sensíveis.

🤔 “Alê, mas eu já ouvi muita gente usar os dois termos como sinônimos…”

De fato, isso acontece bastante no dia a dia. É comum usar a captação e prospecção de clientes de forma sinônima em conversas, mensagens ou até publicações.

Mas, é importante ter em mente que, para a OAB, “captar clientela” é algo que traz a mercantilização para a advocacia. Então, sempre que possível, usar o termo “prospectar” é uma boa maneira de evitar problemas. 🤗

Ah! Antes da conclusão, vou deixar mais uma dica para você, para ajudar em uma questão central do Direito Previdenciário que pode fazer toda a diferença na hora da concessão dos benefícios.

Com a Reforma da Previdência, muitas pessoas que estavam próximas de se aposentar, mas ainda não tinham o direito adquirido.

Para amenizar um pouco esse prejuízo, a EC n. 103/2019 trouxe uma série de regras de transição, com diferentes requisitos e a intenção de suavizar a mudança. Principalmente para quem estava quase se aposentando.

Mas são várias disposições nessas normas com exigências distintas, o que dificulta um pouco o tema.

📝 Por esse motivo, recentemente publiquei um artigo explicando como calcular o pedágio para aposentadoria, com uma super dica de calculadora gratuita para você usar no seu escritório.

Vale a pena conferir e ganhar tempo nas análises previdenciárias!

5) Como Prospectar Clientes na Advocacia no Início da Carreira

É inegável que a questão de como prospectar clientes na advocacia é uma das que mais importam para o advogado, em especial aqueles em início de carreira.

Se a prospecção de novos contratos já é um desafio para quem está estabelecido e é mais experiente, a dificuldade fica ainda maior para os que estão no começo da trajetória.

🤓 Já passei por isso e senti na pele todas as dificuldades, por isso no artigo de hoje decidi falar sobre como prospectar clientes na advocacia de forma ética e usando estratégias que dão resultado.

Comecei mostrando os 5 passos que considero fundamentais : dominar as regras da OAB , conhecer o poder do marketing jurídico , saber o que o cliente busca na internet , entender como ser encontrado online e decidir dar o primeiro passo.

Também compartilhei uma dica bônus sobre as principais plataformas virtuais para prospecção de clientes na advocacia. Os sites, blogs, redes sociais e podcasts são algumas dessas possibilidades.🤗

Ainda expliquei qual é a diferença entre prospectar e captar clientela, mostrando que a captação tem um viés de mercantilização, enquanto a prospecção é o termo mais aceito oficialmente. Na prática, informalmente, ambos são usados como sinônimos.

Com essas informações do artigo de hoje, espero lhe ajudar nesse assunto e deixar seu planejamento na busca por novos contratos mais tranquilo. Seguindo as regras e aplicando certinho as dicas, isso com certeza torna a tarefa menos árdua!

E não esqueça de conferir o ebook Marketing Jurídico Vencedor: Como Atrair Clientes Online.

👉 Clique aqui para se tornar um ímã de clientes através da internet! 😉

Fontes

Além dos conteúdos já citados e linkados ao longo deste artigo, também foram consultados:

Estatuto da Ordem dos Advogados do Brasil – Lei n. 8.906/1994

Resolução n. 02/2015

Provimento n. 205/2021 – Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil

Qual a rede social mais usada em 2023? A resposta vai te surpreender

Alessandra Strazzi

Alessandra Strazzi

Advogada por profissão, Previdenciarista por vocação e Blogueira por paixão.

Deixe um comentário aqui embaixo, vou adorar saber o que você achou!


Artigos relacionados