Estratégias Éticas no WhatsApp: Como Advogados Podem Prosperar Respeitando a OAB

Revelamos os segredos para o advogado usar whatsapp dentro da sua estratégia de prospecção de clientes respeitando as regras da OAB.

por Alessandra Strazzi

8 de fevereiro de 2024

Comentáriosver comentários

Capa do post Estratégias Éticas no WhatsApp: Como Advogados Podem Prosperar Respeitando a OAB

É possível o advogado usar whatsapp dentro da sua estratégia de marketing e prospecção de clientes, desde que respeite as regras da OAB. Para você extrair o máximo da ferramenta, nesse artigo abordamos as regras éticas sobre o tema, se é permitido oferecer serviços e cobrar consulta pelo whatsapp, em quais situações o escritório pode entrar em contato através da ferramenta e se as listas de transmissão são autorizadas. Além disso, compartilhamos 3 dicas práticas para implementar o whatsapp business na advocacia de forma eficiente.

1) Ética no WhatsApp: O que Advogados podem (ou não) fazer no aplicativo

🧐 Atualmente, os advogados têm no WhatsApp uma ferramenta vital para a atuação, desde o primeiro contato com clientes, passando pela publicidade e até interações mais complexas. Por isso, é natural existirem dúvidas sobre os limites da ética no WhatsApp.

Apesar do aplicativo não ser novo (foi lançado em 2009), a utilização dele aumentou muito no mundo jurídico nos últimos anos e muitos colegas ainda se sentem inseguros sobre se certas funcionalidades do whatsapp são permitidas pela OAB.

Pensando nisso, no artigo de hoje quero responder às principais dúvidas sobre o uso WhatsApp pela advocacia. 🤓

Primeiro, vou comentar como as normas éticas tratam a publicidade jurídica nessa ferramenta. Também quero analisar se o advogado pode cobrar consulta por WhatsApp e se é possível entrar em contato com clientes usando o aplicativo.

Na sequência vou explicar se as listas de transmissão são permitidas e se o advogado não pode oferecer serviços pelo WhatsApp.

Por fim, quero mostrar como usar o WhatsApp Business na advocacia e compartilhar algumas dicas de como captar clientes pelo aplicativo de forma ética.

🤗 O tema é muito importante para os advogados e extrair o máximo do uso de todas as ferramentas permitidas na publicidade para o sucesso dos escritórios. Então espero lhe ajudar na tarefa de explorar todas as possibilidades da ferramenta!

2) Publicidade Jurídica por WhatsApp: Regras Éticas da OAB

Antes de entrar no assunto específico do advogado no WhatsApp, é interessante entender melhor o que dizem as regras éticas da OAB sobre o uso dessa ferramenta como forma de publicidade jurídica. 📜

Afinal, o grande objetivo da advocacia ao usar qualquer recurso no marketing jurídico, inclusive as redes sociais como o Instagram ou Facebook, é aumentar a visibilidade, prospectar clientes e evitar problemas com os Tribunais de Ética e Disciplina.

🤔 “E o que a OAB diz sobre o WhatsApp, Alê?”

As normas da Ordem não têm muitas disposições sobre o WhatsApp, mas é possível analisar as 3 grandes fontes de regras éticas na publicidade e chegar a uma posição segura. Posso adiantar que o aplicativo é permitido, mas com limites bem claros.

👉🏻 Então vamos conferir o que determinam:

  • a Lei n. 8.906/1994 (Estatuto da Advocacia);
  • o Provimento n. 205/2021; e
  • o Código de Ética e Disciplina da OAB (Resolução n. 02/2015).

A única menção expressa ao aplicativo está no Anexo Único do Provimento n. 205/2021, que permite os Grupos de WhatsApp, desde que respeitadas algumas limitações quanto aos destinatários das mensagens e a observância das regras gerais de publicidade.

Além dessa disposição direta, ainda existe outra que possibilita uma conclusão segura sobre o uso da ferramenta como comunicação pela advocacia, que também está no Anexo Único:

Correspondências e comunicados (mala direta); “O envio de cartas e comunicações a uma coletividade (“mala direta”) é expressamente vedado. Somente é possível o envio de cartas e comunicações se destinadas a clientes e pessoas de relacionamento pessoal ou que os solicitem ou os autorizem previamente, desde que não tenham caráter mercantilista, que não representem captação de clientes e que não impliquem oferecimento de serviços” (g.n.)

🤓 O raciocínio é que o WhatsApp é uma forma de comunicação pelo envio de mensagens, o que significa que devem ser respeitadas essas restrições. Então, o advogado pode usar a ferramenta como publicidade, mas apenas pode entrar em contato com:

  • Quem já é cliente do escritório;
  • Pessoas que estão no relacionamento pessoal; ou
  • Aqueles que solicitarem ou autorizarem o contato previamente.

Qualquer outro envio de mensagens por advogados pelo WhatsApp pode ser considerado uma infração ética grave, levando a problemas com os TEDs das seccionais da OAB.

Isso não significa que os limites são apenas quanto aos destinatários, mas também em relação ao conteúdo. Afinal, as demais regras quanto a publicidade profissional na advocacia também valem para o aplicativo, ok?

⚖️ Dentro desse aspecto, não dá para esquecer do que determina o art. 39 do Código de Ética e Disciplina da OAB:

“Art. 39 A publicidade profissional do advogado tem caráter meramente informativo e deve primar pela discrição e sobriedade, não podendo configurar captação de clientela ou mercantilização da profissão”. (g.n.)

Ou seja, a OAB autoriza a publicidade de caráter informativo, e por isso o marketing de conteúdo é tão interessante para os advogados. Quem sabe explorar essa oportunidade tem um diferencial, em especial na internet.

Além disso, qualquer atuação publicitária da advocacia não pode instigar o litígio, nem captar clientes e nem promover a ostentação, com autopromoção do advogado. ❌

Às vezes as dúvidas surgem por conta dos conceitos serem um pouco abstratos, o que pode atrapalhar a publicidade jurídica e gerar um receio justificado. Afinal, ninguém quer arriscar ter problemas com o Tribunal de Ética, né?

👉 Então, fica de olho nessa dica: sempre se questione“Se fosse fora do ambiente online, seria permitido eu agir dessa forma?”.

Na maioria das vezes, esse exercício e uma rápida consulta nas normas da OAB já ajudam na tomada de decisão!

3) Advogado Pode Cobrar Consulta por WhatsApp?

Como o uso do aplicativo é permitido pelas normas, o próximo passo é pensar em formas de usar a ferramenta para além da publicidade e dentro dos limites impostos. E aí uma dúvida que costuma aparecer é se o advogado pode cobrar consulta por WhatsApp.

O atendimento por esse meio é como qualquer outro e, diante disso, é perfeitamente possível a cobrança pelo serviço prestado. 💰

Não custa nada lembrar que recentemente passamos pela pandemia de COVID-19 e as consultas eram muitas vezes feitas online, em aplicativos como o Google Meet, o Zoom ou por videochamadas no WhatsApp.

Um dos receios é o de que, como o atendimento é feito a distância, às vezes a contratação e a fixação de honorários acaba sendo verbal ou por meio eletrônico (mensagens ou e-mails).

Mas isso não é um problema! 😉

Inclusive, o Tribunal de Ética e Disciplina de São Paulo (TED/OAB SP) já deu um parecer em resposta a uma consulta que garante a possibilidade até de cobrança judicial de honorários advocatícios combinados verbalmente e comprovados pelo WhatsApp.

📜 Afinal, o art. 48, caput, do Código de Ética e Disciplina prevê que a contratação do advogado deve ser feita preferencialmente (e não obrigatoriamente) por escrito. Segue a ementa:

CONTRATO VERBAL DE SERVIÇOS JURÍDICOS – POSSIBILIDADE DE CONTRATAÇÃO PELO WHATSAPP – RESPONSABILIDADE EXCLUSIVA DO ADVOGADO QUANTO À ESCOLHA DA VIA ADEQUADA PARA COBRANÇA DOS HONORÁRIOS NÃO ADIMPLIDOS PELO CLIENTE, POIS DEPENDE DO CASO CONCRETO – ADVOCACIA CONTRA EX CLIENTE – NECESSIDADE DE MANUTENÇÃO DE SIGILO PROFISSIONAL.

O advogado pode ajuizar ação de arbitramento ou de cobrança lastreada em contratação pelo aplicativo WhatsApp ficando responsável quanto à escolha da via adequada, pois depende do caso concreto. O profissional sempre deve guardar sigilo das informações obtidas no exercício do mandato (artigos 48 e 54 do CED). Precedentes: E-2.372/01, E-3.753/09, E-4.298/13, E-4.561/15 e E-4.954/17.” (g.n.)

(Proc. E-5.192/2019, Julgamento: 24/04/2019, Rel. Dra. Renata Mangueira de Souza, Rev. Dr. Ricardo Bernardi, Pres. Dr. Guilherme Martins Malufe)

Não dá para ignorar que existem clientes que ainda têm uma grande resistência a pagar por consultas feitas pelo WhatsApp. Infelizmente, é comum ouvirmos “é só uma perguntinha/olhadinha”, não é mesmo?

👩🏻‍⚖️👨🏻‍⚖️ Mas, como esse atendimento é um serviço como qualquer outro prestado pela advocacia, a cobrança está amparada pelas normas da OAB. Sem contar no posicionamento dos TEDs.

Portanto, as consultas realizadas pelo WhatsApp podem (e devem) ser cobradas pelo advogado. A única dificuldade é que pode ser difícil de provar a contratação, mas mesmo isso também pode ser comprovado via aplicativo!

Aliás, se você não cobrar pelo atendimento, seja ele feito presencialmente ou virtualmente (WhatsApp, redes sociais, e-mail etc.), pode ter problemas com os TEDs, viu?

“Nossa Alê, por quê?”

Simples, as consultas gratuitas podem ser consideradas captação de clientela, mercantilização ou até aviltamento de honorários, tudo vedado pela OAB.

Obs.: Tem um artigo completo sobre a ética na cobrança de honorários aqui no blog, confira: Desvendando as regras: Quanto posso cobrar de honorários advocatícios do meu cliente?

🙄 O que acontece é que algumas vezes os clientes interpretam de forma equivocada o fato de terem acesso ao WhatsApp do advogado ou do escritório.

Aí, eles passam a tratar esse canal de comunicação como um meio fácil e rápido de obtenção de informações.

Para evitar essa situação, minha sugestão é de que, desde o início, você explique de forma direta e educada para o cliente que o WhatsApp é apenas um meio de comunicação, para facilitar o acesso a documentos, informações, atualização sobre processos etc.

Se possível, estabeleça cláusulas no contrato de honorários advocatícios disciplinando isso. Por exemplo: quais assuntos podem ser abordados pelo aplicativo e quais devem ser esclarecidos pessoalmente, qual o prazo para responder às mensagens, entre outros. 📝

Nos próximos tópicos, eu trago mais algumas dicas sobre meios de estabelecer limites saudáveis na relação cliente e advogado no WhatsApp!

3.1) A consulta jurídica pode ser feita por WhatsApp?

✅ Sim! A consulta jurídica pode ser feita pelo WhatsApp, conforme o que você acabou de conferir no tópico acima.

Além disso, no tópico 2 estão as normas fundamentando que o advogado pode usar o aplicativo como meio de comunicação com os clientes (atuais ou em potencial), certo?

Então, é plenamente possível, também, fazer a consulta jurídica através do aplicativo (seja por mensagens, chamadas de áudio ou chamadas de vídeo). O que pode ser um grande fator de eficiência no escritório.

👉🏻 Imagine o seguinte: ao invés de receber o cliente pessoalmente em uma data futura, porque ele não pode comparecer nos dias próximos, você pode atendê-lo por WhatsApp no mesmo dia. Isso permite:

  • Ficar a par dos fatos com antecedência;
  • Analisar a situação, ainda que de forma preliminar;
  • Já solicitar documentos importantes;
  • Extrair informações relevantes do cliente;
  • Identificar potenciais boas causas;
  • Fechar contratações;
  • Entre outros.

Mas, não esqueça de deixar claro para o cliente que consulta realizada de forma online não é sinônimo de consulta gratuita. Afinal, você continua despendendo tempo e conhecimento para esclarecer os questionamentos dos clientes, né?

📌 Outra questão interessante relacionada às consultas, se refere àquele ícone de agendamento que alguns advogados inserem em seus sites jurídicos ou redes sociais.

Normalmente eles têm aquelas mensagens do tipo “agende sua consulta aqui” e, quando a pessoa clica, é encaminhada para uma conversa no WhatsApp. Mas é bom ter cuidado com isso…

Sobre o tema, encontrei essa ementa de Parecer do Tribunal de Ética e Disciplina de São Paulo (TED/SP) em resposta a uma consulta formulada pela Presidência e Comissão de Ética e Disciplina de uma das Subseções:

“PUBLICIDADE – INTERNET – WHATSAPP - CARÁTER INFORMATIVO - POSSIBILIDADE.

Toda e qualquer publicidade veiculada pela internet ou por outros meios eletrônicos deverá observar as diretrizes estabelecidas no capítulo VIII do Código de Ética e Disciplina. O profissional que se utiliza da sua rede social para tratar de um tema de maneira genérica que esteja relacionado à sua especialidade e à sua área de atuação, bem como a título informativo não afronta as normas éticas previstas no referido ordenamento, desde que não promova ou induza o ouvinte/internauta a litigar não promovendo, desta forma, captação indevida de clientela. Deve o profissional, com base no artigo 44 do Código de Ética e Disciplina, apenas disponibilizar o seu nome ou da sociedade de advogados com o número da inscrição na OAB. Situações como a citada na presente consulta, com botão de “agende a sua consulta” com “link” direto para o WhatsApp do profissional não são adequadas e jamais devem estimular a judicialização.” (g.n.)

(TED/SP, Proc. E-5.472/2020, Julgamento: 10/02/2021, Rel. Dr. Sylas Kok Ribeiro, Rev. Dr. Anselmo Prieto Alvarez, Pres. Dr. Guilherme Martins Malufe)

Ou seja, conforme a interpretação do TED da OAB/SP, o uso de ícones de agendamento não seria eticamente adequado. Mas, como os posicionamentos podem divergir, sugiro que dê uma olhada sobre o que o TED do seu Estado tem entendido como correto.

Aliás, caso você já tenha conhecimento ou experiência com isso, compartilha comigo nos comentários? Adoro saber como os colegas têm usado essas novas tecnologias no dia a dia do escritório! 😉

4) Advogado pode entrar em contato pelo WhatsApp?

Outro questionamento comum é se o advogado pode entrar em contato pelo WhatsApp e usar esse meio para se comunicar com os clientes.

📜 Bem, conforme as normas da OAB, em especial o Anexo Único do Provimento n. 205/2021, é sim possível usar o aplicativo para a comunicação na advocacia, respeitadas as regras e os limites determinados pela Ordem.

No tópico 2, vimos que o advogado pode usar o WhatsApp como ferramenta de publicidade jurídica ou comunicações, desde que apenas envie mensagens para destinatários certos.

Ou seja, o advogado pode enviar uma mensagem para quem já é cliente informando sobre o andamento do processo. Da mesma forma, pode enviar uma mensagem para um colega sobre uma notícia jurídica de interesse, por exemplo.

❌ Mas não pode entrar em contato com uma pessoa desconhecida para coletar informações diversas ou até mesmo para uma publicidade, porque isso não é permitido.

Diferentes redes sociais, dificuldade de se expor, falta de engajamento, normas da OAB…

Sei bem que o Marketing Jurídico ainda é um desafio para muitos advogados.

Mas afinal, existe uma fórmula garantida para atrair clientes na internet?

É claro que existe!

Eu compilei todo meu conhecimento de mais de 10 anos trabalhando com marketing jurídico digital e produção de conteúdo jurídico na internet em um guia: o ebook Marketing Jurídico Vencedor: Como Atrair Clientes Online

Meu objetivo com o livro é ensinar a você uma fórmula garantida para que os clientes encontrem você, sempre respeitando as normas da OAB!

Este ebook traz para você os 5 Pilares da Prospecção Online:

  1. Estratégias para você se destacar online e ser encontrado pelos seus clientes
  2. As novas regras de marketing jurídico da OAB
  3. Marketing Jurídico orgânico: branding, site, SEO, redes sociais, produção de conteúdo, cartão de visitas, WhatsApp, correio eletrônico e mais!
  4. Marketing Jurídico pago: como chegar aos clientes com anúncios de forma ética e eficiente
  5. Tudo o que você precisa para montar e ter sucesso com um escritório de Advocacia digital

👉 Então clique aqui para se tornar um ímã de clientes através da internet! 😉

5) Pode-se utilizar as listas de transmissão do WhatsApp como forma de publicidade jurídica?

⚖️ Apesar de também não existir uma norma específica sobre as listas de transmissão, há uma previsão sobre os “Grupos de WhatsApp” no Anexo Único do Provimento n. 205/2021:

Grupos de “WhatsApp” Permitida a divulgação por meio de grupos de “whatsapp”, desde que se trate de grupo de pessoas determinadas, das relações do(a) advogado(a) ou do escritório de advocacia e seu conteúdo respeite as normas do Código de Ética e Disciplina e do presente provimento.” (g.n.)

Então, equiparando a lista de transmissão a um grupo de WhatsApp, é possível usar esse recurso na publicidade e em outras tarefas do dia a dia na advocacia.

Acontece que as mesmas limitações aplicáveis às mensagens em geral também se aplicam a essas listas. Isso tanto de forma a evitar a mercantilização, como em relação aos destinatários.

👩🏻‍⚖️👨🏻‍⚖️ Então, o contato só pode ser feito para clientes, colegas, pessoas de convívio ou quem solicitou/autorizou a comunicação previamente, e sem o intuito de captação de clientela.

Do contrário, podem surgir alguns problemas com os Tribunais de Ética e Disciplina da OAB. Inclusive, a Seccional de São Paulo já tem precedente sobre esse assunto:

“UTILIZAÇÃO DE LISTAS DE TRANSMISSÃO DISPONIBILIZADAS PELO APLICATIVO DE COMUNICAÇÃO WHATSAPP – PUBLICIDADE – ANÚNCIO ACERCA DE NOVAS AÇÕES A CLIENTES E NÃO CLIENTES – INFRAÇÃO ÉTICA.

A utilização de listas de transmissão disponibilizadas pelo aplicativo de comunicação Whatsapp, para encaminhamento de mensagens a grupo de pessoas, sejam clientes ou não clientes do advogado remetente, com o escopo de apresentar ou propor novas demandas, como uma espécie virtual de mala direta, implica violação dos preceitos éticos que regem a atividade da advocacia.” (g.n.)

(Proc. E-5.189/2019 - v.u., em 27/03/2019, do parecer e ementa do Rel. Dr. Ricardo Bernardi, Rev. Dra. Cristiana Corrêa Conde Faldini - Presidente Dr. Guilherme martins Malufe)

Importante notar que essa posição do TED da OAB/SP não considerou como incorreto o uso geral da lista, mas apenas a questão da apresentação ou propositura de novas demandas com informações via WhatsApp.

Ou seja, interpretando essa proibição específica, a utilização das listas de transmissões no aplicativo para outros fins permitidos, observadas as limitações, é possível.

Isso, claro, desde que não seja uma forma de incentivar o litígio ou captar clientes, e respeitadas as demais restrições.

Está gostando do artigo? Clique aqui e entre no nosso grupo do Telegram! Lá costumo conversar com os leitores sobre cada artigo publicado. 😊

5.1) Atenção: lista de transmissão x mala direta

Interessante dizer que o próprio Tribunal de Ética e Disciplina da OAB/SP equiparou, especificamente quanto a apresentação de novas ações ou contato com clientes em potencial para incentivo ao litígio, a lista de transmissão com a mala direta.

⚠️ E nesse assunto existiu uma significativa mudança nas normas da Ordem!

O uso de mala direta pelo advogado ou escritório de advocacia como forma de publicidade profissional era autorizado pela OAB nos termos do Provimento n. 94/2000.

Mesmo nessa época, deveriam ser respeitadas as mesmas vedações de conteúdo e destinatários que citei no tópico anterior.

Só que no atual Provimento n. 205/2021, a mala direta é expressamente proibida, como Anexo Único sendo claro: “O envio de cartas e comunicações a uma coletividade (“mala direta”) é expressamente vedado.

“Alê, mas então como fica: pode ou não pode a lista de transmissão afinal?” 🤔

Como mencionei no tópico anterior, desde que seja mantido o caráter informativo e para as pessoas autorizadas, nada impede o uso das listas. Mas é preciso cuidado com os conteúdos, para evitar a mercantilização e problemas com a OAB.

A minha dica quanto a isso é restringir o uso de lista de transmissão para enviar somente os conteúdos informativos para quem já me deu permissão para entrar em contato (o que ajuda a explorar o marketing de conteúdo).

🤓 Por exemplo: você pode explicar o que é a revisão da vida toda, mas não pode ter uma chamada à ação dizendo que você está trabalhando com isso ou convidar a pessoa para ajuizar a ação. São diferenças sutis, mas muito importantes.

6) Advogado não pode oferecer serviços por WhatsApp: é verdade?

Uma questão que também aparece muito é se o advogado não pode oferecer serviços por WhatsApp.

🧐 Bem, a análise tem que ser feita com muito cuidado para evitar uma conclusão precipitada sobre o assunto. Só que já dá para adiantar que em regra não é possível fazer isso.

Conforme as normas que estão nos tópicos anteriores, dá para concluir que o advogado pode usar o WhatsApp na sua atuação, e em uma série de atividades. As consultas e a publicidade pelo aplicativo são hipóteses interessantes, que podem ajudar muito na prática.

Mas…

A questão de oferecer serviços é extremamente complicada e muito complexa em qualquer situação que envolve a advocacia.

O próprio trecho do Anexo Único do Provimento n. 205/2021 sobre a comunicação é claro ao dizer que os contatos devem ser feitos a pessoas determinadas e sem implicar no oferecimento de serviços. 📜

Além disso, o art. 46 do Código de Ética e Disciplina da OAB, no seu parágrafo único, segue uma linha muito semelhante:

“Art. 46. A publicidade veiculada pela internet ou por outros meios eletrônicos** deverá observar as diretrizes estabelecidas neste capítulo.

Parágrafo único. A telefonia e a internet podem ser utilizadas como veículo de publicidade, inclusive para o envio de mensagens a destinatários certos, desde que estas não impliquem o oferecimento de serviços ou representem forma de captação de clientela (g.n.)

O mesmo Código de Ética e Disciplina, no art. 39, é claro ao dizer que publicidade profissional do advogado precisa ser informativa, sóbria e discreta, sem espaço para mercantilização da profissão.

Então, é preciso analisar toda a questão com essas regras em mente…

E aí, de fato parece ser bem claro que o advogado não pode oferecer serviços por WhatsApp. Não por conta do aplicativo em si, porque o mesmo se aplica às restrições do e-mail, por exemplo, mas pela proibição geral quanto ao assunto, ok?

“Não existe uma saída, Alê?”

❌ A princípio, não! O oferecimento de serviços de fato é vedado pela OAB em várias de suas normas justamente para evitar a captação de clientes e a mercantilização.

O que pode ser feito é buscar uma publicidade eficiente com o marketing de conteúdo, para informar clientes atuais e potenciais de novidades relevantes no mundo jurídico.

Ao fazer isso de forma correta, é possível colher bons frutos colocando-se como uma figura de autoridade no assunto, o que traz confiança nas pessoas que já contrataram ou ainda podem contratar seus serviços.

Também já trouxe algumas ideias nesse sentido no artigo sobre se o advogado pode ligar oferecendo serviços. Ele está bem completo e também tem dicas que podem ser aplicadas ao WhatsApp.

Depois dá uma conferida e me conta o que achou nos comentários, ok? 🤓

7) WhatsApp business para advogados

Além da versão “convencional” do aplicativo, o WhatsApp também disponibiliza a versão Business, destinada especialmente a quem deseja utilizar a ferramenta nas atividades comerciais e profissionais. O que é um excelente diferencial para os advogados.

O melhor é que esse é um aplicativo gratuito, que pode ter o download realizado tanto no Google Play (sistema Android) como na App Store (sistema IOS – Iphone). Também dá para usar a versão para computadores e notebooks (WhatsApp Web). 😍

Só é bom ter atenção desde o início em um ponto relevante que pode ser um contra para alguns: WhatsApp Business precisa estar vinculado a um chip exclusivo de celular. Ou seja, precisa ter um número dedicado.

Assim, quem quiser continuar usando o WhatsApp regular e também o Business, terá que ter dois números e um celular dual chip ou passar a usar dois aparelhos de celular diferentes.

Afinal, não é possível ter um número de telefone vinculado aos dois aplicativos ao mesmo tempo. ❌

O que não significa que os pontos positivos do WhatsApp Business não sejam muitos e bastante atraentes para os advogados. Olha só!

7.1) Como advogados podem utilizar o WhatsApp business?

Existem inúmeras possibilidades para os advogados usarem o WhatsApp Business, que vão desde uma simples centralização de contatos e comunicação, até o envio de mensagens automáticas ou links externos.

👉🏻 Além disso, o aplicativo também inclui recursos que auxiliam o escritório a:

  • Automatizar algumas etapas do atendimento (saudação inicial, mensagem de ausência etc.);
  • Classificar clientes e conversas dentro do WhatsApp;
  • Responder rapidamente às mensagens de clientes atuais ou potenciais;
  • Fixar horários de início e final de atendimento;
  • Colocar informações importantes no perfil;
  • Inserir outros dados de contato e endereço;
  • Entre outros.

E tem mais: em comparação com a versão regular, o WhatsApp Business conta com mais opções de edição do perfil, otimizando o aplicativo para empresas.

Isso permite, direto no contato, incluir as imagens e outros dados relevantes como os endereços, telefones ou horários de funcionamento do escritório. Um diferencial enorme que possibilita ao cliente ter acesso fácil a mais informações do advogado.

Muito legal, né? 😍

Para complementar essas informações, no próximo tópico, comentarei um pouco mais sobre as vantagens de usar o WhatsApp Business na sua advocacia!

7.2) Vantagens do WhatsApp business para o escritório de advocacia

🧐 Existem diversas vantagens no uso do WhatsApp Business para os escritórios de advocacia. Entre as principais, estão:

  • Setorização de contatos;
  • Separar conversas pessoais de profissionais;
  • Disponibilização de informações ao cliente mesmo sem respostas manuais.

Dá para notar que o WhatsApp Business é uma excelente alternativa para advogados que não querem estar disponíveis aos clientes no aplicativo durante 24 horas por dia, nos 7 dias da semana.

Afinal, um desgaste enorme bastante presente na advocacia é justamente a carga de trabalho, que ocupa um tempo muito grande na agenda, inclusive além do horário “regular”.

Aí entra um dos maiores diferenciais do WhatsApp Business (profissional) em relação ao WhatsApp Messenger (convencional): nele você pode configurar a opção de horários e dias de atendimento.

Assim, caso queira atender apenas em horário comercial, você configura para não estar online fora destes horários. 🗓️

Já no caso do cliente entrar em contato, ainda existe a opção de programar para ele automaticamente receber uma mensagem de ausência, por exemplo, informando que você retornará no dia seguinte.

8) 3 Dicas Práticas de Como Captar Clientes pelo WhatsApp

O Whatsapp é uma ferramenta de comunicação democrática, de fácil utilização egratuita.

Mas, para além disso tudo, ainda existem mais alguns detalhes interessantes de como captar clientes por ele.

Pensando nisso, para oferecer um atendimento profissional e não se tornar um escravo do trabalho, trouxe 3 dicas sobre o uso inteligente do Whatsapp na advocacia! 😉

8.1) Não utilize seu WhatsApp pessoal

Vocês sabem que sempre aconselho todos a tratarem a advocacia da maneira mais profissional possível. E isso não seria diferente com relação aos meios de comunicação utilizados pelos escritórios, como o WhatsApp ou outros similares.

⚠️ Agora, uma coisa tem que ser bastante destacada: seu lado pessoal é uma coisa e sua profissão é outra. Assuntos interessantes para você podem não ser de relevância para sua atuação jurídica e vice-versa.

No início da carreira, é comum usar o mesmo número de telefone para o contato pessoal e para os clientes. Até por custos ou facilidade, já que no começo são poucos casos e contratações.

Agora, conforme o tempo passa e o trabalho aumenta, o uso do aplicativo de mensagens sem a correta divisão entre tarefas pode custar muito caro.

Então, como você já viu todo o potencial do WhatsApp na advocacia, é melhor separar a vida pessoal da profissional, né? Existem ferramentas para isso, com certa facilidade, inclusive. 😉

A dica quanto a isso é: use os recursos disponíveis e invista em duas linhas de telefone, para poder ter mais eficiência.

Sempre que possível, tenha um número de celular pessoal (para a amigos e familiares) e outro número de celular profissional (que você vai passar para clientes, colegas, prestadores de serviços e parceiros), com oWhatsApp Business.

🤗 Isso com certeza ajuda a passar uma imagem mais profissional ao cliente, além de permitir que você estabeleça horários de disponibilidade, organize mensagens, defina prioridades de resposta, delegue o atendimento a outras pessoas etc.**

8.2) Configure as mensagens automáticas

Como mencionei antes, no WhatsApp Business, o advogado pode configurar mensagens que serão enviadas automaticamente para os contatos pelo aplicativo, a depender da situação.

Isso é uma das maiores “mão na roda” que existem em termos de dar um retorno aos clientes da melhor maneira possível. 😊

O WhatsApp Business tem esse recurso, que dá aos advogados muitas possibilidades de configurações. Desde o primeiro contato, com mensagens de saudação inicial, passando por atalhos de respostas frequentes e até informações automáticas de ausência.

🤔 “Nossa Alê, que legal, como isso funciona na prática?”

Fica melhor de entender com um exemplo. Imagine que o cliente envie mensagens perguntando sobre o andamento do processo entre as 18 horas da sexta-feira e as 8 horas da segunda-feira. Nesse intervalo, seu escritório está fechado para o fim de semana.

Com a configuração certinha no WhatsApp Business, em resposta a esse contato, a pessoa recebe uma mensagem automática informando que o você não está atendendo no momento, já que está fora do horário de funcionamento. 🤓

E na sequência a mesma mensagem informa que assim que possível, no retorno aos trabalhos de início de semana, você entrará em contato com ele.

Assim, o cliente ficará ciente de que você não está trabalhando naquele período e que terá que aguardar por sua resposta.

Não ignoro que dependendo do contexto ou da área de atuação, pode ser difícil utilizar esse tipo de atendimento. Mas, especificamente com relação à área previdenciária (que é nosso foco aqui do blog), acredito que é plenamente possível implementar esse sistema!

👉 Ah! Outra dica é constar expressamente nas configurações que se trata de uma mensagem automática. Nem todos os clientes conseguem distinguir os tipos de mensagens e podem acreditar que você está online, mas se recusa a responder.

Por isso, é bom deixar bem expresso que se trata de uma comunicação automatizada, para a pessoa não achar que está sendo deixada de lado e identificar ainda mais seu profissionalismo.

8.3) Estabeleça um horário de disponibilidade e respeite os limites

Os períodos de descanso são extremamente importantes para o advogado “recarregar as baterias” para continuar a prestar os serviços.

😖 Às vezes, nós nos esquecemos disso. Aí, começam a surgir problemas relacionados ao estresse e à exaustão do trabalho.

Desse modo, a última dica no artigo de hoje é estabelecer horários de disponibilidade fixos no WhatsApp, coincidindo com os períodos em que o escritório está fechado.

Além de ser um fator de organização de trabalho, também acaba sendo uma questão de saúde mental e até mesmo sobrevivência na advocacia a longo prazo (ainda mais se você exerce a advocacia em home office).

😱 Lembre-se e aproveite o fato de que no Whatsapp Business, você pode configurar os dias e horários de atendimento.

Junto com as configurações corretas, isso faz com que o cliente receba uma mensagem automática caso lhe contate em um momento em que esteja indisponível. Uma ótima saída para equilibrar ainda mais a vida profissional e pessoal.

📝 Outra prática legal, é que você estabeleça, logo no contrato de honorários advocatícios, cláusulas de disponibilidade, seja presencialmente ou online.

Também é possível que você defina no momento da contratação como deverá ser contactado (telefone, WhatsApp, email etc.) e o prazo para responder ao cliente.

Dessa forma, você pode inclusive delegar o atendimento a outras pessoas, integral ou parcialmente (ficando apenas com a função de formular a resposta final, por exemplo).

Outro recurso que não pode ficar de fora nesse combo é a alteração das configurações de privacidade do WhatsApp. 🧐

Isso é interessante para que o cliente não saiba quando foi a última vez que você esteve online (o famoso “visualizado por último”), se a mensagem que ele enviou foi vista ou não por você etc. Mais privacidade e tranquilidade para você.

9) Conclusão

O advogado tem no WhatsApp uma excelente ferramenta para auxiliar na sua atuação em diversos campos de muita relevância para a atuação. Acontece que as regras da OAB quanto a publicidade são rígidas e trazem limitações.

🤓 Por esse motivo, no artigo de hoje decidi fazer uma análise completa sobre esse assunto para você, com as normas da Ordem no tema e dicas práticas para lhe ajudar.

Primeiro, analisei as regras éticas da OAB sobre a publicidade jurídica no aplicativo de mensagens e quais as principais determinações na matéria.

Também mostrei que o advogado pode (e deve)cobrar consulta por WhatsApp e que é possível entrar em contato com clientes pelo aplicativo.

Depois, expliquei que as listas de transmissão na ferramenta são permitidas como publicidade e comunicação com o cliente. Mas, para isso acontecer, os destinatários devem ser certos e o conteúdo seguir as normas da OAB. 📜

Além disso, mostrei que, em regra, o advogado não pode oferecer serviços pelo WhatsApp. Mas, que dá usar o WhatsApp Business na advocacia de forma muito eficiente.

Para encerrar, compartilhei 3 dicas práticas de como captar clientes pelo aplicativo de forma ética. Não usar o número pessoal, configurar mensagens e estabelecer um horário de trabalho é fundamental para extrair o melhor da ferramenta.

🤗 Com isso, espero ter esclarecido as dúvidas dos colegas e gerado algumas ideias de como usar o WhatsApp de forma ética na advocacia!

E não esqueça de conferir o ebook Marketing Jurídico Vencedor: Como Atrair Clientes Online.

👉 Clique aqui para se tornar um ímã de clientes através da internet! 😉

Fontes

Além dos conteúdos já citados e linkados ao longo deste artigo, também foram consultados:

Provimento n. 205/2021 - Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil

Estatuto da Advocacia e da OAB - Lei n. 8.906/1994

Resolução n. 02/2015 - Código de Ética e Disciplina da OAB

Provimento n. 94/2000

Tribunal de Ética e Disciplina da OAB/SP - Proc. E-5.189/2019

Tribunal de Ética e Disciplina da OAB/SP - Proc. E-5.472/2020

Tribunal de Ética e Disciplina da OAB/SP - Proc E-5.192/2019

Alessandra Strazzi

Alessandra Strazzi

Advogada por profissão, Previdenciarista por vocação e Blogueira por paixão.

Deixe um comentário aqui embaixo, vou adorar saber o que você achou!


Artigos relacionados