Como corrigir dados no CNIS: 3 Principais Erros no Acerto de CNIS

Descubra o que é importante analisar e como corrigir dados no CNIS (com dica de ferramenta de análise do CNIS online, rápida e eficiente).

por Alessandra Strazzi

3 de agosto de 2023

Comentáriosver comentários

Capa do post Como corrigir dados no CNIS: 3 Principais Erros no Acerto de CNIS

Resumo

Saber corrigir os dados do CNIS corretamente é essencial para evitar prejuízos aos pedidos de concessão de aposentadoria dos clientes. Neste artigo, abordamos os 3 erros imperdoáveis sobre acerto de vínculos e remunerações no CNIS, como dar entrada no pedido pelo 135, como analisar o CNIS rapidamente com uma ferramenta online, se cabe MS quando o INSS demora para analisar a correção, porque não é possível corrigir o CNIS através de atualização de cadastro no MEU INSS, o que fazer quando não constam todos os recolhimentos no CNIS, como unificar os NITs no INSS e em quais casos os recolhimentos em atraso do contribuinte individual contam como carência e tempo de contribuição.

1) Introdução

Depois que publiquei o artigo Como Destrinchar o CNIS em 3 Minutos e Fechar Mais Contratos, muitos colegas previdenciaristas começaram a pedir para eu falar mais sobre como corrigir os dados no CNIS. 🤓

Foi então que, durante minhas pesquisas sobre o tema, assisti a palestra da Dra. Elaine Oliveira no Workshop prático de Análise do CNIS.

😊 Como ela falou justamente sobre os principais erros relacionados ao CNIS e passou várias dicas práticas de como realizar essa correção, achei que seria interessante compartilhar com nossos leitores parte do conteúdo que aprendi!

Por isso, estou escrevendo o artigo de hoje, focado em explicar como corrigir os dados no CNIS , assim como tornar a análise do CNIS mais rápida e eficiente (através de uma excelente ferramenta online ).

👉🏻 Dá uma olhada em tudo o que você vai aprender:

  • Quais são os 3 erros imperdoáveis sobre acerto de vínculos e remunerações no CNIS ;
  • Como dar entrada no pedido de correção do CNIS;
  • Como analisar o CNIS rapidamente e fechar mais contratos, através de uma eficiente ferramenta online ;
  • Se cabe mandado de segurança quando o INSS demora para analisar o pedido de correção do CNIS;
  • Se é possível corrigir o CNIS através de atualização de cadastro no MEU INSS;
  • O que fazer quando não constam todos os recolhimentos no CNIS;
  • Como unificar os NITs no INSS;
  • Se os recolhimentos em atraso do contribuinte individual contam como carência e tempo de contribuição.

E por falar em conteúdo relevante para a advocacia, estou disponibilizando uma Ficha de Atendimento a Clientes para Causas Previdenciárias.

Sei que muitos colegas não dão a devida atenção para essa etapa e, por isso, acabam transmitindo ao cliente uma imagem de inexperiência ou desorganização.

Para não correr esse risco e aumentar suas chances de fechar negócio logo na primeira consulta, preencha o formulário abaixo com o seu melhor e-mail. Vou lhe enviar uma cópia gratuitamente! 😉

2) Como Corrigir Dados no CNIS: 3 erros imperdoáveis

Quando o assunto é como corrigir dados no CNIS, não podemos nos limitar à crença de que apenas o INSS comete erros.

Afinal, há várias situações que poderiam ser resolvidas previamente pelo segurado ou até mesmo pelo próprio advogado , a partir de uma análise minuciosa dos documentos apresentados pelo cliente.

Mas, melhor do que apontar erros, é indicar soluções, né? 😉

Por isso, vou comentar 3 erros “imperdoáveis” das três partes (INSS, cliente e advogado) e o que fazer para evitar que esse tipo de situação prejudique os pedidos de concessão de aposentadoria!

2.1) Erro do cliente: Não corrigir o CNIS antecipadamente

Esse é o erro mais comum e que, na minha opinião, mais prejudica o pedido de aposentadoria: o fato do segurado não se organizar antecipadamente e deixar para corrigir o CNIS na última hora. 😖

Infelizmente, a maioria das pessoas ainda não se conscientizou sobre a necessidade de fazer um planejamento previdenciário ou de consultar um advogado previdenciarista com antecedência.

Então, elas chegam até os escritórios dias antes de dar entrada no pedido de aposentadoria ou até mesmo quando o INSS já negou o benefício. E, o pior: querendo resolver tudo com a maior urgência possível.

E quando já chegam com o trânsito em julgado de uma ação que entraram no JEF sem advogado? É bem triste…

O problema é que, como sabemos, corrigir o CNIS costuma ser um procedimento muito burocrático , que demanda tempo e juntada de documentos. Além disso, o que nem todos os segurados entendem é que as provas perecem. 🤯

Por exemplo: pode haver perda da CLT, dos contracheques ou não conseguir o reconhecimento de um tempo especial porque a empresa fechou e não foi possível encontrar os responsáveis para emitir a documentação depois. Ou então, uma testemunha falece…

Portanto, explique aos seus atuais e potenciais clientes que, quem não se prepara antecipadamente, assume o risco de passar por um processo de aposentadoria mais demorado ou receber um benefício menos vantajoso no futuro.

📲💻 Inclusive, você pode utilizar as redes sociais do seu escritório para compartilhar essas informações.

Assim, além de ser uma excelente forma de desenvolver seu marketing de conteúdo, você consegue informar seu público sobre algo que poucas pessoas sabem das consequências!

como corrigir dados no cnis e acerto de CNIS

2.2) Erro do INSS: Negar correção do CNIS de quem não entrou com pedido de benefício

Pois é, alguns servidores do INSS se negam a abrir o pedido de acerto de vínculos e remunerações do CNIS , dizendo que essa alternativa só existe para quem dá entrada no requerimento de benefício.

❌ Ou seja, de acordo com esses servidores, a correção do CNIS apenas poderia ser realizada no curso do pedido de benefício, sem a possibilidade de ser processada separadamente (pois o sistema do INSS supostamente não indicaria essa opção).

Acontece que isso não se aplica na prática , visto que o art. 19, §1º do Decreto n. 3.048/1999 , o art. 12 da IN n. 128/2022 (assim como a antiga IN) e a Portaria n. 123/2020 indicam que o acerto de vínculos e remunerações do CNIS independe de prévio pedido de benefício (podendo ser realizado a qualquer momento).

Basta o advogado ligar no telefone 135, no 0800-135-0135 que pode ser usado pelos patronos ou, se preferir, na própria agência do INSS, por meio de protocolo (não é possível fazer pela internet) e solicitar o acerto de vínculos e remunerações. 📞

Depois, o servidor abre uma tarefa dentro do MEU INSS do segurado (na aba pedidos), onde você deve juntar os documentos necessários para fazer as correções.

Caso o atendente se negue a abrir o pedido, recomendo que ligue novamente em outro horário e tente falar com outro servidor, explicando principalmente sobre a existência da Portaria n. 123/2020 (pois, muitas vezes, nem o próprio atendente conhece a norma).

2.2.1) Atualizar CNIS Online sem Requerimento de Benefício é Possível?

Muitos advogados têm dúvidas se é ou não possível atualizar o CNIS online sem pedir o benefício ou se apenas é permitido solicitar a retificação do extrato previdenciário por telefone, pelos canais do 135.

A resposta é que, ao menos hoje, em dia, não é possível fazer o requerimento pelo Meu INSS , infelizmente! ❌

Acontece que a dúvida é justificada por uma atitude da própria autarquia, que no início do ano informou a unificação de uma série de serviços online. Entre eles, a “atualização de vínculos e remunerações”, que foi unificado com a “atualização de código de pagamento”.

🧐 Por isso, muitos colegas interpretaram que seria possível, com essa medida, pedir a retificação do CNIS direto no sistema do Meu INSS.

Mas, depois a autarquia retificou a informação e esclareceu que na verdade esse serviço não seria possível online, apenas pelos seguintes caminhos:

  • Contato telefônico via 135 ;
  • Ligação no 0800-135-0135 (o famoso 0800 do advogado);
  • Direto na agência da Previdência Social , mediante requerimento.

Somente depois que a solicitação for feita por um desses canais é que o pedido aparece no Meu INSS, para você anexar a documentação necessária conforme o caso dos seus clientes.

🤔 “Alê, mas e se o servidor da autarquia se negar a protocolar o meu pedido por telefone ou na agência?”

Nesse caso, você deve mencionar que é um dever do INSS efetuar esse serviço, não existindo qualquer impedimento para a protocolo, com fundamento na Portaria n. 123/2020 , no seu artigo 3º:

“Art. 3º Os requerimentos dos serviços abaixo foram alterados para possibilitar a solicitação via Central 135 e via APS .

I – Solicitar Cálculo de Período Decadente;

II – Solicitar Cálculo de Complementação;

III – Solicitar Retroação da Data do Início da Contribuição – DIC;

IV – Solicitar Alteração de Código de Pagamento;

V – Atualizar Vínculos e Remunerações ; e

VI – Solicitar Alta a Pedido.” (g.n.)
Portanto, hoje ainda não é possível atualizar o CNIS online, mas você pode solicitar esse serviço por outras formas e retificar o extrato previdenciário do seu cliente. 🤓

2.3) Erro do advogado: não conferir o CNIS com os demais documentos do cliente

Sempre que for analisar o CNIS , compare as informações com os dados que constam nos demais documentos do cliente (como ficha de atendimento, CTPS, contratos de trabalho, carta de concessão de benefício etc.). 📜

Inclusive, no artigo Como Importar Salários de Contribuição do CNIS e Carta de Concessão em 1 Minuto, expliquei que, exportando essas informações para uma planilha, fica mais fácil analisar, identificar erros e, obviamente, efetuar os cálculos previdenciários.

Além disso, compartilhei uma super dica de ferramenta online e gratuita que faz isso rapidamente para você. Vale muito a pena conferir!

Mas, voltando ao que estávamos conversando, o advogado não deve se atentar só aos vínculos laborais , sendo que as remunerações também precisam ser checadas. ⚠️

Olha só alguns exemplos de situações que a gente só percebe quando compara o CNIS com os demais documentos e relatos do cliente:

  • tempo de serviço rural;
  • tempo de serviço especial sem indicador de exposição a agente nocivo ou insalubre (ocasião em que é preciso solicitar o PPP ou LTCAT);
  • períodos de trabalho temporário;
  • vínculos da CTPS que não constam no CNIS;
  • existência de mais de um NIT (situação em que é preciso unificar os números, para que todos os dados dos NITs migrem para o CNIS principal).

Está gostando do artigo? Clique aqui e entre no nosso grupo do Telegram! Lá costumo conversar com os leitores sobre cada artigo publicado. 😊

2.3.1) Atenção às remunerações!

Especificamente com relação às remunerações , o maior problema que tenho visto atualmente é que, desde a Reforma, todos os salários de contribuição abaixo do piso não são mais considerados como tempo de contribuição, carência e manutenção da qualidade de segurado.

Ou seja, o segurado empregado, o empregado doméstico e o trabalhador avulso, passaram a ter o mesmo tratamento legal que era dado ao contribuinte individual e ao segurado facultativo antes da EC n. 103/2019. 😕

Expliquei tudo isso em detalhes no artigo Tudo Sobre Complementação da Contribuição Previdenciária Recolhida a Menor. Caso queira entender melhor sobre o que deve ser feito para aproveitar essas contribuições, recomendo a leitura!

Ao manter contribuições inferiores ao piso, o segurado acaba sendo prejudicado na hora de dar entrada no pedido de aposentadoria, porque esse tempo e essas remunerações não são contadas.

👉🏻 Consequentemente, o INSS pode negar o benefício ou conceder a aposentadoria em um valor menor do que o segurado teria direito.

“Ah Alê, mas o advogado pode juntar essas provas depois ou até mesmo entrar com pedido de revisão.”

Acontece que, se você não apresenta todas as provas no processo administrativo desde o início, os efeitos financeiros não retroagem à DER , mas somente a partir da apresentação da nova documentação ou do pedido de revisão.
🧐 Portanto, tenha em mente que é necessário resguardar o direito do cliente desde o início. Não cometa o erro de não comparar as informações do CNIS com os dados que constam nos demais documentos!

3) Como utilizar a ferramenta de análise de CNIS do CJ

Recentemente, descobri uma excelente ferramenta online para analisar o CNIS de forma rápida e eficiente.

Como dica boa é dica compartilhada, resolvi dividir isso com vocês! 😉

Estou falando da Ferramenta de Análise do CNIS, desenvolvida pelos engenheiros do Cálculo Jurídico. Eu mesma usei e confesso que estou apaixonada, é uma das melhores ferramentas previdenciárias que conheci até agora.

Ela permite que o advogado economize tempo com uma análise rápida e ainda descubra, em segundos, oportunidades e riscos antes de efetuar um cálculo completo.

Além disso, essa ferramenta localiza indicadores de períodos e salários e valida os dados pessoais para o cadastro do cliente no escritório. 😍

Mesmo que esteja disponível apenas na versão paga , acredito que seja algo que vale a pena investir, porque realmente facilita muito a nossa vida!

🧐 Para você ver como é fácil, fiz um “passo a passo” de como ela funciona:

  1. No seu computador, salve em PDF o CNIS que queira analisar;

  2. Acesse sua conta na plataforma do Cálculo Jurídico;

  3. No canto superior direito, clique no ícone “Analisador Rápido do CNIS” ;

  1. Clique em “Importar CNIS” e selecione o arquivo do CNIS que está salvo no seu computador;
  1. Automaticamente , a ferramenta analisa o documento e fornece um relatório completo, contendo todos os dados do CNIS (informações do segurado, tipos de períodos etc.), indicadores (de períodos e de competências) e salários (com direito até a gráfico de contribuições).

Com essas informações em mãos, fica fácil mostrar ao cliente quais são os problemas que já constam no CNIS , sendo que a ferramenta literalmente indica o número.

Desse modo, antes mesmo de realizar os cálculos previdenciários, já é possível identificar vários pontos que precisam ser resolvidos antes de dar entrada no pedido de aposentadoria. ⚠️

Além disso, você pode explicar quais são todas as demais pendências que podem ser identificadas com uma análise mais apurada.

Ah, por falar no assunto, também já publiquei um artigo ensinando como Comparar a Carta de Concessão com o CNIS em 2 Minutos. E o melhor: esta ferramenta é gratuita!!

4) 5 Principais Dúvidas sobre Acerto do CNIS

Por fim, como de costume, selecionei 5 principais dúvidas dos advogados sobre acerto e como corrigir os dados no CNIS.

Caso tenha mais qualquer dúvida ou sugestão de tema para os próximos artigos, já sabe né? Compartilhe comigo nos comentários! 😉

4.1) Cabe MS em caso de demora do INSS para analisar o pedido de correção do CNIS?

Sim , cabe mandado de segurança (MS) nesses casos, sendo uma via muito importante para resguardar os direitos do cliente. ✅

Até mesmo porque as demais alternativas administrativas, como reclamação na ouvidoria do INSS, abertura de guichê virtual etc., tendem a não surtir efeito.

Como expliquei no artigo Demora na resposta do INSS? Entenda como o Mandado de Segurança pode te ajudar [com Modelo], o STF já se posicionou no sentido de que as decisões administrativas devem ser proferidas no prazo legal.

Isso porque o princípio da razoável duração do processo se aplica sim no âmbito administrativo. Trata-se de um direito líquido e certo e, portanto, enseja mandado de segurança.

Lembrando que o pedido do MS deve ser apenas no sentido de determinar que o impetrado apresente a decisão no prazo correto, e não para determinar que ele profira decisão em conformidade com o que você deseja. 🤗

4.2) É possível corrigir o CNIS através de atualização de cadastro no MEU INSS?

Não. Conforme comentei no tópico 2.2, o requerimento de correção do CNIS é realizado apenas pelo telefone 135, 0800-135-0135 ou na agência (pelo menos até o momento, não existe a opção de efetuar o pedido pela internet).

Como o próprio nome diz, a atualização de cadastro tem como objetivo apenas corrigir ou atualizar as informações pessoais do segurado mesmo (nome dos pais, data de nascimento, estado civil, nome civil etc.). 📄

4.3) O que fazer quando não constam todos os recolhimentos no CNIS?

É preciso comprovar as remunerações , através de outros documentos do cliente (contrato, CTPS, demonstrativos de pagamento, ficha financeira de órgãos públicos etc.).

Trata-se de uma situação muito comum, em que o empregador não recolhe o INSS do funcionário (seja por erro ou mesmo por esquecimento).

Nesse caso, o segurado só precisa comprovar que trabalhou e qual era o seu salário de contribuição durante o período (com base em sua remuneração à época). 💰

Vale dizer que o pagamento das referidas contribuições é de responsabilidade do empregador, que deixou de repassar ao INSS os recolhimentos previdenciários do trabalhador.

4.4) Como unificar os NITs no INSS?

Caso o cliente tenha mais de um NIT, é necessário fazer o pedido de unificação no INSS (o que é conhecido também como elo dos NITs), que é realizado da mesma forma do acerto do CNIS.

📞 Basta o advogado ligar no telefone 135, no 0800-135-0135 ou direto em uma agência (não é possível fazer pela internet) e solicitar o acerto de vínculos e remunerações.

Depois, o servidor abre uma tarefa dentro do MEU INSS do segurado (na aba pedidos), onde você deve juntar os documentos necessários para fazer as unificações dos NITs que estão em nome do cliente.

4.5) Recolhimentos em atraso do contribuinte individual contam como carência e tempo de contribuição?

Quando o contribuinte individual paga a primeira contribuição em dia, as contribuições anteriores em atraso só contam como carência e tempo de contribuição se forem pagas dentro do período de manutenção da qualidade de segurado e na mesma categoria.

Para entender melhor como funciona essa questão de recolhimentos em atraso do contribuinte individual, recomendo dar uma olhada na Portaria n. 1.382/2020 (vou deixar o link nas fontes). ⚖️

Além disso, esse ano publiquei um artigo explicando sobre se a Contribuição em Atraso conta para Direito Adquirido Antes da Reforma da Previdência.

Também fica a dica de leitura para entender o que fazer quando o INSS entende que pagamento de contribuições em atraso prejudica o direito adquirido à aposentadoria pelas regras anteriores à EC n. 103/2019!

5) Conclusão

Acredito que o CNIS é o documento mais importante no universo previdenciário! 🤓

No artigo de hoje, compartilhei com vocês algumas dicas de como corrigir os dados no CNIS , assim como tornar a análise mais rápida e eficiente (através de uma excelente ferramenta online).

🤗 Não se esqueça de que o pedido pode ser realizado pelo telefone 135 , no 0800-135- 0135 ou mediante protocolo na APS, não havendo motivo para o atendente se negar a abrir o procedimento. Depois, é só juntar os documentos no MEU INSS do cliente.

O Decreto n. 3.048/1999, a IN n. 128/2022 e a Portaria n. 123/2020 indicam que o acerto de vínculos e remunerações do CNIS independe de prévio pedido de benefício (podendo ser realizado a qualquer momento).

E já que estamos no final do artigo, que tal darmos uma revisada? 😃

👉🏻 Para facilitar, fiz uma listinha com tudo o que você aprendeu:

  • Quais são os 3 erros imperdoáveis sobre acerto de vínculos e remunerações no CNIS ;
  • Como dar entrada no pedido de correção do CNIS pelo telefone 135;
  • Como analisar o CNIS rapidamente , através de uma eficiente ferramenta online ;
  • Cabimento de mandado de segurança quando o INSS demora para analisar o pedido de correção do CNIS;
  • Porque não é possível corrigir o CNIS através de atualização de cadastro no MEU INSS;
  • O que fazer quando não constam todos os recolhimentos no CNIS;
  • Como unificar os NITs no INSS;
  • Quando os recolhimentos em atraso do contribuinte individual contam como carência e tempo de contribuição.

Ah, não esqueça de baixar a Ficha de Atendimento a Clientes para Causas Previdenciárias. Ter uma linha de raciocínio eficiente na hora da consulta realmente faz a diferença nos resultados da advocacia.

👉🏻 Clique aqui e faça o download agora mesmo! 😉

6) Fontes

Além dos conteúdos já citados e linkados ao longo deste artigo, também foram consultados:

DECRETO N. 3.048, DE 6 DE MAIO DE 1999

INSTRUÇÃO NORMATIVA PRES/INSS N. 128, DE 28 DE MARÇO DE 2022

PORTARIA N. 123, DE 13 DE MAIO DE 2020

PORTARIA PRES/INSS Nº 1.382, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2021

Instagram – Prof. Victor Carvalho

Telegram – Prof. Victor Carvalho

Alessandra Strazzi

Alessandra Strazzi

Advogada por profissão, Previdenciarista por vocação e Blogueira por paixão.

Deixe um comentário aqui embaixo, vou adorar saber o que você achou!


Artigos relacionados