3 Formas de Usar o ChatGPT na Advocacia de Forma Ética

Descubra como usar o ChatGPT na sua advocacia para aumentar a produtividade de forma segura e ética, evitando erros comuns.

por Alessandra Strazzi

28 de setembro de 2023

Comentáriosver comentários

Capa do post 3 Formas de Usar o ChatGPT na Advocacia de Forma Ética

Resumo

O chatGPT é uma inteligência artificial que pode tornar a rotina da advocacia muito mais produtiva, mas há alguns cuidados a serem seguidos para evitar problemas futuros. Neste artigo, abordamos como o ChatGPT está construindo um novo cenário profissional, os principais perigosos de usar a IA sem as devidas cautelas, como usar o chat na advocacia de forma segura e ética, passo a passo de uso da ferramenta, dicas para extrair as melhores respostas e sugestões de prompts (comandos). Também analisamos se essa nova tecnologia pode ser vista como uma substituta inevitável dos advogados ou uma ferramenta construtiva.

1) ChatGPT na Advocacia: entendendo melhor o novo cenário

⚖️ Um assunto extremamente quente que tem chamado a atenção do mundo jurídico nos últimos tempos é o uso do ChatGPT na advocacia.

Aliás, não são só os advogados estão de olho nisso, mas todos que atuam no Direito, como promotores, juízes e analistas!

Essa agitação não é para menos, porque a ferramenta é um modelo de inteligência artificial conectada a uma grande rede de informações. É essa conexão que fornece os textos, livros, artigos, sites e as demais fontes da IA.

O mais interessante é que além dela ser poderosa e ter acesso há um enorme conteúdo, é baseada em um sistema conversacional. Ou seja, os advogados conseguem as repostas conversando com o ChatGPT e a inteligência artificial aprende conforme é usada. 🤯

Isso facilita seu uso e garante que mesmo pessoas não acostumadas com tecnologia ou programação consigam extrair bons resultados da IA com os comandos certos.

🤓 Por isso, no artigo de hoje, decidi escrever sobre esse assunto e lhe mostrar 3 formas para os advogados usarem o ChatGPT de forma ética. Só para adiantar, é possível utilizá-lo no estudo de teses, na redação e na análise de documentos.

Mas o uso dessa ferramenta na advocacia traz riscos que podem provocar uma série de problemas. Por isso, também vou explicar esses perigos.

Depois quero mostrar como usar o ChatGPT , com um passo a passo e dicas de ouro para conseguir extrair o melhor da inteligência artificial sem dificuldades.

🤗 Com isso, espero lhe ajudar a entender como essa ferramenta pode ser mais um auxílio na sua advocacia, desde que a gente adote algumas cautelas!

Antes de continuar, quero deixar uma dica aqui de uma ferramenta de produtividade jurídica que eu gosto muito!

Trata-se da Calculadora de Feriados, Dias úteis e Diferenças entre Datas que foi desenvolvida pelos engenheiros do Cálculo Jurídico.

🗓️ É uma verdadeira “mão na roda” para acertar na contagem de dias e de correções pro rata. Ou seja, é útil para praticamente todas as áreas do direito.

👉 Clique aqui e acesse a calculadora agora mesmo! 😉

2) Uso de ChatGPT na Advocacia pode ser perigoso

🧐 O ChatGPT na advocacia tem o potencial de deixar mais eficiente e produtivo nosso trabalho. Mas seu uso pode ser perigoso se o advogado não tomar os devidos cuidados.

Para exemplificar, vou lhe contar um caso que aconteceu com dois advogados nos Estados Unidos!

Um advogado usou a ferramenta para pesquisar uma jurisprudência, que depois foi usada por um colega de escritório no processo.

Até aí, aparentemente não tem nenhum problema, né? 🤔

Acontece que as decisões pesquisadas no ChatGPT e usadas para fundamentar o argumento como se fossem precedentes , na verdade, eram falsas. A IA criou as decisões com base nos prompts e perguntas feitas pelo usuário.

😲 O grande erro é que o advogado usou a ferramenta como uma fonte de pesquisa e não checou se a jurisprudência era verdadeira. Pior, não foi apenas um, mas 6 “processos paradigmas” que simplesmente não existiam e foram criados como “exemplos” pela IA!

Um enorme problema, em especial na Common Law americana, baseada em precedentes e não em códigos, como é o sistema judicial brasileiro.

Ambos advogados agora devem explicar para a Justiça o que de fato aconteceu e ainda podem ser punidos. Eles afirmaram estarem de boa-fé e não sabiam que a ferramenta poderia dar respostas erradas.

⚠️ Isso por si só já é um alerta para o uso do ChatGPT na advocacia.

Se trata de uma ótima forma de apoio e auxílio no trabalho, mas não dá para confiar cegamente nas suas respostas.

Imagine quando alguém se equivoca nos comandos e “descobre” decisões que não existem. Ou, pior ainda, age de má-fé e cria decisões falsas.

🧐 Mas existem outros pontos que precisam ser observados, para evitar problemas no uso dessa ferramenta. A seguir, vou comentar brevemente os 4 aspectos que considero mais importantes!

2.1) Informações desatualizadas

O ChatGPT é uma IA treinada para entregar resultados às perguntas e aos comandos com base em um banco de dados cheio de informações. Isso é um dos grandes trunfos dele, além da rapidez nas respostas.

Acontece que por mais que ele aprenda com outras interações, a data limite de sua atualização é setembro de 2021. Portanto, ele só acessa resultados de fontes anteriores a esse momento. 🗓️

Ou seja, tudo que aconteceu depois disso não vai estar em uma resposta fornecida pela inteligência artificial.

Isso é um enorme problema para a advocacia, uma vez que o Direito está sempre mudando.

2.2) Falta de contexto ou interpretação equivocada

Ao pesquisar ou utilizar o ChatGPT para alguma tarefa, tenha em mente que a IA responde de acordo com o contexto que você passar para ela em suas perguntas.

Por esse motivo, a ferramenta pode eventualmente interpretar de forma equivocada alguma interação ou até mesmo tirar os prompts de contexto. 😕

Nestes cenários, a resposta encontrada pode não ter nada a ver com o que se procura ou, pior, pode partir de uma interpretação errada que leva a um resultado não desejado.

Por exemplo, imagine que a Dra. Márcia deseja que o ChatGPT lhe forneça um modelo de procuração, mas não especifica quais são os poderes. Normalmente, os advogados sabem que se trata da procuração ad judicia, mas a IA pode interpretar isso de outra forma. 📝

Se a ferramenta fornecer um documento genérico e a Dra. Márcia não se atentar, o cliente não vai saber a diferença. Aí, só depois que o judiciário determinar a emenda da inicial com a forma correta do instrumento é que ela vai descobrir o problema.

Então, sempre dê o máximo de contexto ao GPT e nunca deixe de conferir as respostas!

2.3) Conteúdo genérico

Na esmagadora maioria das vezes, os casos são diferentes um do outro.

Por mais que existam semelhanças entre processos, não dá para tratar todos eles da mesma forma porque uma pequena particularidade pode fazer uma grande diferença.

Então, o uso do ChatGPT para fornecer ou encontrar argumentos e teses jurídicas sobre assuntos genéricos deve ter muitas cautelas. ⚖️

Afinal, esses “modelos” podem trazer as mesmas soluções para problemas jurídicos diferentes, além de conteúdos idênticos e padronizados. Isso não é interessante na construção de uma boa argumentação nos Tribunais.

Existem vários outros riscos no uso do ChatGPT na advocacia, mas com esses já espero deixar claro para você que essa ferramenta precisa de atenção. E é fundamental operar ela da forma certa, para extrair o melhor para sua atuação sem ter consequências indesejadas.

Essas ressalvas e cautelas valem para a internet como um todo, já que pesquisas em ferramentas de busca na rede podem ter resultados não confiáveis ou desatualizados. Mas, como a IA é uma novidade muito recente, esses cuidados devem ser redobrados! 😉

2.4) Respostas tendenciosas (viés do ChatGPT)

Usar o ChatGPT na advocacia como um contraponto para suas teses e argumentos é uma forma interessante de explorar esse instrumento. Inserir as ideias na ferramenta e questionar possíveis falhas ou pontos favoráveis é inteligente.

🤖 Mas, apesar de parecer até certo ponto estranho, é necessário tomar cuidado e dispensar uma atenção ao viés da IA. Sim, ela pode ter respostas condicionadas e alguns preconceitos embutidos nas informações entregues aos usuários.

“Ué, Alê, como assim?”

🤓 Por mais que o ChatGPT seja uma inteligência artificial, não dá para esquecer que ele é usado, construído, mantido e treinado por seres humanos.

As respostas com linguagem muito próxima a de uma pessoa que a IA dá são fruto de um treinamento, de um procedimento de aprendizado conduzido por programadores e pelos próprios usuários.

Então, pode ser que algumas coisas não sejam tão “isentas” ou “neutras” como o esperado e é uma má ideia acreditar que todos os resultados sejam livres de influências.

Além disso, tem também a questão dos prompts, aqueles comandos que o usuário do ChatGPT precisa colocar para obter as respostas. 📝

O retorno da ferramenta depende do que for fornecido a ela. Um elogio ou um dado, ainda que implícito, pode condicionar a resposta.

👉🏻 Fiz um teste e olha a diferença das respostas sobre a revisão de aposentadoria especial, a depender da forma como o questionamento é feito:


Pergunta para o GPT

Reposta



Um cliente trabalhou em condições insalubres e esse período foi considerado como comum pelo INSS. Penso em entrar com uma revisão para corrigir isso, acredita que essa atitude está correta?
Se um cliente trabalhou em condições insalubres que deveriam ter sido reconhecidas como especiais pelo INSS, mas o período foi considerado como comum, pode ser apropriado considerar uma revisão do benefício.
No entanto, a decisão de entrar com uma revisão deve ser bem analisada por um advogado previdenciário ou especialista em Direito previdenciário, pois a legislação previdenciária pode ser complexa e requer um conhecimento específico.
Um cliente trabalhou em condições insalubres e esse período foi considerado como comum pelo INSS, de forma errada. Penso em entrar com uma revisão para corrigir isso e fazer Justiça, incluindo essas diferenças e aumentando o valor do benefício, acredita que essa atitude está correta? Se o INSS considerou erroneamente o período em que seu cliente trabalhou em condições insalubres como período comum, e você possui evidências substanciais que comprovam que ele deveria ter sido reconhecido como tempo especial, então entrar com uma revisão pode ser uma atitude apropriada para corrigir essa situação e garantir que seu cliente receba o benefício correto.

Viu só? A resposta depende da pergunta ou do prompt (comando dado).

Por isso, é importante ter cuidado com o viés das informações do ChatGPT na sua advocacia, sempre conferindo se realmente aquilo está conforme a realidade! 🧐

3) 3 Formas de Usar o ChatGPT na Advocacia de Forma Ética

Apesar de ser necessário tomar certos cuidados no uso da IA no dia a dia, não quer dizer que ela não pode se tornar uma ótima ferramenta de apoio.

⚖️ Na realidade, desde que usado da forma correta, o ChatGPT é um grande trunfo e um excelente instrumento para o advogado das mais diversas áreas.

Pensando nisso, resolvi comentar 3 formas de fazer o uso dessa novidade de maneira ética!

chatgpt advocacia

3.1) Assistência no estudo de teses e jurisprudência

A primeira maneira de usar a IA eticamente e conseguir bons resultados é empregar a ferramenta como um assistente no estudo de teses ou da jurisprudência. Não significa usar ela para pesquisar, mas para auxiliar nas análises jurídicas.

🤔 “Alê, mas como eu posso fazer isso?”

Dá para fornecer ao ChatGPT uma tese que você deseja aplicar (como fiz com a revisão de aposentadoria especial) e então fazer perguntas sobre ela. Depois, colocar informações do caso do seu cliente e checar se é possível usar o argumento.

📜 Em relação a jurisprudências, a ideia é a mesma. Você pode inserir uma decisão e pedir para a IA fazer um estudo sobre ela, fornecendo os principais pontos da posição do judiciário.

Tudo isso ajuda a identificar situações em que é possível ou não aplicar um certo entendimento ao caso dos seus clientes, sem contar que agiliza bastante as análises.

Mas isso não pode de forma alguma ser feito sem uma pesquisa mais detalhada nos sites dos Tribunais, para ver se a decisão que a IA citou realmente existe. Aí você evita o problema que aconteceu com aquele advogado dos Estados Unidos!

⚠️ E atenção! Independente da análise que o ChatGPT fizer ou da informação que ele fornecer para você, não deixe de confirmar com outras fontes.

É fundamental checar se a resposta da ferramenta está correta e atualizada. Lembre-se de que a IA tem um banco de dados com base até setembro de 2021!

Em específico para o Direito Previdenciário, é muito importante checar se a informação de uma tese, a jurisprudência ou até os requisitos legais de um benefício estão corretos e atualizados.

Recentemente, um colega me disse que numa análise de rotina do caso de uma cliente, solicitou ao ChatGPT os requisitos para a aposentadoria por idade híbrida.

A ferramenta até citou a necessidade de cumprir uma idade mínima, o tempo de contribuição e a carência, mas usou as exigências de 2021 para a segurada mulher. Com isso, a informação era equivocada e só foi corrigida porque o advogado fez a checagem. 😕

Portanto, fique de olho para evitar esse tipo de problemas, ok? Mas, com algumas cautelas, o ChatGPT é muito útil para a advocacia quando o assunto é a assistência na análise de julgados e teses.

Por falar em requisitos, acabei de publicar um artigo sobre o Pedido de Uniformização para a TNU com base no que diz o Manual de Admissibilidade Recursal feito pela própria Turma Nacional.

Não deixa de conferir depois, porque ele está cheio de informações valiosas para você dominar os recursos! 🤗

3.2) Revisão e análise de documentos

Outra maneira de usar essa IA no seu escritório é aproveitando o seu potencial para revisão e análise de documentos jurídicos (como contratos, relatórios etc.).

👉🏻 Isso pode ajudar bastante a identificar alguns aspectos relevantes e a fazer tarefas repetitivas ou demoradas, por exemplo:

  • Correção de problemas na redação , como erros de português, gramática ou concordância;

  • Mostrar eventuais equívocos em algumas cláusulas, como números errados, dados incorretos ou contradições;

  • Fornecer informações importantes do documento, como valores de um contrato, dados em um relatório, entre outros;

  • Recomendações de melhorias em certos tipos de documentação. A adição de cláusulas, modificação de redação e o acréscimo de previsões são algumas delas;

  • Fornecer resumos dos principais pontos do documento jurídico. Isso facilita em manifestações, petições judiciais ou em passar informações para os clientes;

  • Entregar pareceres jurídicos sobre o conteúdo da documentação (pode ajudar, mas deve ser checado em relação à veracidade e atualidade do que for informado pela IA);

  • Entre outros.

Com os comandos e as perguntas certas, o ChatGPT ajuda demais sua advocacia na revisão, na análise, além no estudo da documentação jurídica. Isso economiza tempo em certas tarefas e prioriza uma atuação mais eficiente do advogado. 😍

Claro que mesmo com todas essas possibilidades, as cautelas devem estar presentes nas informações que a IA lhe fornecer. Então, o que falei sobre a checagem e atenção com a ferramenta no tópico 2 vale aqui também, ok?

Está gostando do artigo? Clique aqui e entre no nosso grupo do Telegram! Lá costumo conversar com os leitores sobre cada artigo publicado. 😊

3.3) Auxílio na redação jurídica

Finalmente, uma terceira forma de usar o ChatGPT na advocacia é ter esse instrumento como um “colega de profissão” que ajuda na redação jurídica de suas petições, pareceres, análises e demais conteúdos do Direito.

🧐 Aliás, isso é um tema muito polêmico , talvez o maior entre todos que envolvem o uso de inteligência artificial por advogados. Mas, se a utilização da ferramenta for correta e ética nesse sentido, ela pode se tornar uma enorme aliada na sua atuação.

É possível que o ChatGPT:

  • Traga ideias de formas diferentes de escritas para suas manifestações e dicas de visual law;

  • Indique alterações e correções em textos de processos que você já escreveu;

  • Sugira construções argumentativas para enriquecer suas petições, com exemplos ou até mesmo incluindo os argumentos sugeridos na sua produção jurídica;

  • Redija manifestações conforme seus prompts, sendo necessária uma cautela adicional nos comandos e uma obrigatória revisão pelo advogado depois_;_

  • Construa teses do zero com base nas suas instruções;

  • Escreva argumentos contrários a uma petição da parte contrária fornecida a ferramenta;

  • Entre outras possibilidades.

🤓 Tudo isso ajuda a advocacia a ser mais eficiente, sem dúvidas. Desde que respeitados os limites éticos, a necessidade de uma checagem das informações fornecidas por um ser humano e também o cuidado personalizado caso a caso.

Também dá para usar esse instrumento no apoio da produção de conteúdo de marketing jurídico, para auxiliar nas tarefas como organização de informações de clientes e até para sugestões de posts em redes sociais (como o LinkedIn).

Mas a ferramenta também pode literalmente entregar modelos de contratos, de peças processuais e até construir teses (com um grau maior ou menor de sucesso, a depender dos comandos).

E isso preocupa demais os advogados, que temem ser substituídos pela IA. 😕

Não vou entrar tanto nesse assunto hoje, porque essa discussão merece um artigo inteiro só para ela (aliás, me conta nos comentários se você gostaria de eu falasse mais sobre o tema, ok?).

O que dá para dizer, desde já, é que o fato do ChatGPT auxiliar a advocacia não significa que ele pode substituir o advogado.

A ferramenta é mais um apoio, um co-piloto para a atuação, e não um substituto para os profissionais do Direito.

A personalização, o atendimento humanizado e a empatia necessárias para redigir as peças, além da condução do processo, são exclusivas dos seres humanos (pelo menos até o momento)!

4) Como usar o ChatGPT – passo a passo geral

Agora que você já viu algumas formas de usar o ChatGPT na advocacia de maneira ética e que podem lhe ajudar bastante no dia a dia, também é importante conhecer como fazer uso dessa ferramenta.

Como eu disse hoje, existem duas versões da IA: o ChatGPT 3.5 (gratuito) e o ChatGPT 4 (pago).

Vou mostrar para você o passo a passo de como usar ele na versão gratuita.

Acredito ser a que a maioria das pessoas usa e dá para fazer muita coisa nela, sem precisar investir no plano pago.

Obviamente, vou considerar como funciona hoje em dia. Mas, como a plataforma está em constante atualização, pode ser que algo mude, ok?

👉🏻 Para começar, acesse o site da OpenAI::

Então, é só clicar em “ Get Started” e criar a sua conta. O procedimento é bem simples, precisa só de um e-mail e um número de telefone. Você também pode selecionar uma conta Google, Microsoft ou Apple para isso.

😊 Olha só como fica:

Depois faça o login e informe o seu e-mail de acesso. Feito isso, vai aparecer essa tela:

🤗 É só clicar em “ ChatGPT ” e pronto! Você já vai estar na página da inteligência artificial:

Aí é só você fazer as suas perguntas e inserir os seus comandos no campo “ Send a message ” (envie uma mensagem) para começar a conversar com a IA.

Você pode conversar com a ferramenta em português, sem problema nenhum!

Ah! E também dá para instalar no seu celular, basta clicar nessa opção na primeira tela que lhe mostrei e seguir as instruções.

Ele está disponível tanto no Google Play como na Apple Store.📱

4.1) Dicas para extrair as melhores respostas do ChatGPT

Já lhe disse que os comandos dependem de um contexto.

Simplesmente chegar e perguntar, sem fornecer informações importantes da situação que envolve aquele questionamento podem levar a respostas genéricas ou até mesmo equivocadas.

Quanto mais adequado for o contexto e o prompt, mais satisfatória é a resposta que a IA lhe fornece. E aí fica mais fácil aproveitar essa informação do ChatGPT na sua advocacia. ⚖️

Outra boa prática que não pode ser ignorada no uso da ferramenta é tomar cuidado com o tamanho das suas perguntas ou dos seus comandos.

O ChatGPT trabalha com um limite de tokens.

🤓 Não vou entrar em detalhes técnicos. Mas, explicando de uma forma didática, os tokens são a energia/combustível da inteligência artificial.

Quanto mais informações você colocar na pergunta, mais tokens ele vai consumir na hora de interpretar e sobrará menos “energia” para dar as respostas, o que pode comprometer a qualidade.

Por esse motivo, evite fazer perguntas muito longas e com muitas questões no mesmo comando, porque isso faz com que a ferramenta demore mais para responder. Isso sem contar que nem sempre as respostas são boas.

Prefira fazer uma série de questionamentos mais curtos, seguindo uma linha de raciocínio. Assim, seus resultados tendem a ser melhores! 😊

4.2) Sugestões de Prompts (comandos) para ChatGPT na Advocacia

Em primeiro lugar, tenha em mente que, quando o assunto são os prompts (comandos), não existe uma “receita de bolo”.

Até há aqueles mais utilizados, que provavelmente você já viu profissionais ensinando como usar. Mas, como toda solução genérica, sempre será preciso adaptar e contextualizar , de acordo com seus objetivos específicos.

Gosto sempre de deixar isso bem claro, para você não se decepcionar com as respostas que pode obter com perguntas “padrões”. O melhor é treinar e desenvolver os seus próprios prompts, ok?

Mas, para você ter uma ideia do que pode pesquisar e como formular os comandos, vou compartilhar alguns exemplos de prompts (o que está em colchete pode ser substituído):

  1. “Analise os riscos e benefícios deste [contrato de trabalho], destacando cláusulas essenciais e outras que podem ser incluídas para proteger os interesses mútuos.”

  2. “Desenvolva uma análise crítica da jurisprudência citada, que demonstre o entendimento mais recente dos Tribunais sobre [a responsabilidade civil de plataformas online por conteúdo gerado por terceiros, destacando tendências e implicações para clientes que operam nesse ambiente]”.

  3. “Com base nas informações fornecidas, cite alguns argumentos que me auxiliem a elaborar uma tese jurídica inovadora para contestar [a constitucionalidade de uma legislação fiscal recentemente aprovada, argumentando em favor dos direitos do contribuinte e explorando possíveis precedentes em jurisprudência semelhante.]”

  4. “Conforme o documento fornecido, avalie as implicações legais e éticas [do uso de inteligência artificial na tomada de decisões judiciais]. Discuta a jurisprudência atual e proponha medidas para garantir a transparência e a equidade nesse contexto.”

  5. “De acordo com a situação descrita, forneça possíveis argumentos jurídicos capazes de auxiliar no convencimento do judiciário quanto ao direito do meu cliente.”

  6. “Com base no cenário descrito, elabore um memorando jurídico detalhado sobre [as implicações legais da proteção de dados pessoais em uma empresa de saúde após a implementação da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).]”

  7. “Desenvolva uma estratégia jurídica para rebater os argumentos da contestação conforme indicado acima. Atue como um advogado com mais de 20 anos e experiência na área.”;

  8. “Sugira medidas proativas que uma empresa pode adotar para [mitigar riscos de litígios trabalhistas em um contexto de trabalho remoto, considerando questões de segurança no trabalho e direitos dos funcionários]”.

  9. “Forneça um modelo de contrato de [honorários advocatícios previdenciários] ”.

  10. “Aja como um advogado especialista em [direito empresarial] e, diante da situação descrita, forneça argumentos ou teses para auxiliar na fundamentação do direito do cliente”.

🧐 Importante ressaltar que existem muitos outros comandos que você pode usar no seu dia a dia para aproveitar da melhor maneira o ChatGPT na sua advocacia!

Só fique atento ao que cada situação exige e personalize os prompts para ter resultados mais satisfatórios.

Antes de irmos para a conclusão, vou deixar mais uma dica para você!

Acabei de publicar um artigo sobre o Tema n. 322 da TNU , que foi afetado para julgamento e pode aumentar o valor da aposentadoria por idade rural do segurado especial para além de 1 salário mínimo.

Quer saber como isso é possível e por que o julgamento pode beneficiar quem recebeu auxílio-acidente? Então não deixe de conferir! 😉

5) Uso de ChatGPT na Advocacia: substituto inevitável de advogados ou ferramenta construtiva?

Há quem entenda que ele é um substituto inevitável, enquanto outros vão pelo caminho de tratá-lo como uma ferramenta construtiva.

🤓 Com o que expliquei para você no artigo de hoje, fica claro que atualmente essa IA tem um grande potencia l de auxiliar quem advoga no dia a dia e ser um poderoso aliado.

Mas, também não dá para ignorar que o uso do ChatGPT na advocacia traz alguns riscos que podem causar muitos problemas se não forem tomados os cuidados devidos. A desatualização de informações e o viés da inteligência artificial são alguns desses perigos.

Contudo, também é possível explorar a IA de maneiras muito interessantes e de forma ética. Como para estudo de teses, auxílio na redação e análise de documentos. 🤗

Para encerrar com chave de ouro, ainda expliquei como usar o ChatGPT , trazendo um passo a passo com dicas práticas e sugestões de comandos para conseguir o melhor resultado para a sua advocacia.

🧐 Porém, como o ChatGPT e as demais IAs estão sempre evoluindo, é importante continuar estudando, para se manter atualizado.

Inclusive, depois me conta nos comentários o que achou do artigo e se quer que eu fale mais sobre essa ferramenta ou outras que também podem ser usadas na advocacia.

Vou adorar saber sua opinião e isso me ajuda a escolher quais são os próximos temas! 😊

Ah, e não se esqueça da Calculadora de Feriados, Dias úteis e Diferenças entre Datas que o Cálculo Jurídico está disponibilizando gratuitamente.

👉 Para conferir essa super ferramenta, é só clicar aqui! 😉

Fontes

Além dos conteúdos já citados e linkados ao longo deste artigo, também foram consultados:

Getting Started with ChatGPT

ChatGPT na advocacia

ChatGPT para advogados: O que é e como utilizar na sua prática jurídica

O que é o ChatGPT e como ele pode ser útil para o advogado

ChatGPT: US lawyer admits using AI for case research

1º IADIR – INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NO DIREITO – DIA 1

1º IADIR – INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NO DIREITO – DIA 2

Alessandra Strazzi

Alessandra Strazzi

Advogada por profissão, Previdenciarista por vocação e Blogueira por paixão.

Deixe um comentário aqui embaixo, vou adorar saber o que você achou!


Artigos relacionados